Logo da CBIC

Agência CBIC

06/08/2020

Sobe para 13,3% a taxa de desemprego no País, aponta PNAD Contínua

O Brasil perdeu 8,876 milhões de ocupações no segundo trimestre de 2020 em relação aos três primeiros meses do ano. A taxa de desocupação foi de 13,3% no trimestre móvel referente aos meses de abril a junho de 2020, o que corresponde a um crescimento de 1,1 ponto percentual em relação ao trimestre de janeiro a março de 2020 (12,2%) e 1,3 ponto percentual frente ao mesmo trimestre móvel do ano anterior (12,0%). Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta quinta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Essa é a maior taxa de desemprego para este período, desde o início da série histórica da pesquisa, em 2012”, destaca a economia do Banco de Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Ieda Vasconcelos.

 

Construção civil perde mais de 1 milhão de ocupações informais

A construção civil perdeu 1,06 milhão de ocupações no 2º trimestre de 2020 em relação aos três primeiros meses do ano. “Vale lembrar que esse número está muito relacionado as ocupações informais”, aponta a economista, em função da crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus e que tomou conta do País.

O novo Caged, divulgado pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, e que apura os resultados do mercado de trabalho formal, mostra que no 2º trimestre de 2020 a construção civil eliminou 74.972 vagas. Assim, o número de trabalhadores com carteira assinada no setor passou de 2,210 milhões em março para 2,135 milhões em junho. “Os números evidenciam a importância do setor formal e o esforço da construção em manter os postos de trabalho com carteira assinada”, afirma Vasconcelos.

Nesse contexto, segundo ela, é importante destacar os dados dos requerimentos para o seguro desemprego. Informações da Secretaria Especial da Previdência e Trabalho, divulgadas pelo Ministério da Economia, em julho, indicam que o número de requerimentos dos trabalhadores da construção civil foi de 60.063, representando uma queda de 9,36% em relação ao mês de junho (66.264).

Em análise divulgada no Informativo Econômico do Banco de Dados da CBIC, Ieda Vasconcelos reforça que o mercado de trabalho é um dos grandes desafios impostos ao processo de recuperação da economia e que setores como o da construção civil, com grande capacidade de gerar emprego e renda na economia, ganham cada vez mais importância.

Veja íntegra da análise sobre a PNAD Contínua no Informativo Econômico do Banco de Dados da CBIC.

A ação integra o projeto “Banco de Dados da Construção –  BDC”, realizado pela CBIC em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industriai (SENAI Nacional).

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Março/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
AELO
Sinduscon-MA
ADIT Brasil
Sinduscon-AL
Sinduscon-CE
Sinduscon-PA
Sinduscon PR – Noroete
Sinduscon-DF
Sinduscon-Brusque
Sinduscon – Vale
FENAPC
Sinduscon-SP
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet diyarbakır escort escort istanbul mersin escort mecidiyeköy escort çeşme escort
X