Logo da CBIC

Agência CBIC

22/10/2020

De acordo com especialista, LGPD já afeta a dinâmica do mercado 

A rotina das empresas e o mundo dos negócios foram afetados pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Estar em conformidade com as normas previstas se tornou uma exigência de mercado e o tema já assume um papel de destaque nas negociações comerciais. Dada a relevância do assunto, o Quintas da CBIC desta semana abordou as nuances da lei e o que as empresas do setor da construção precisam fazer para se adequar às novas regras.

Confira a íntegra do evento.

O presidente da CBIC, José Carlos Martins, mediou o debate e destacou que apesar da relevância, o assunto ainda é desconhecido pelo setor. “É importante estarmos preparados e termos as informações necessárias para aderir ao processo. Começamos hoje a tratar do tema, mas vamos levar o máximo possível de informações para a nossa rede, visando que a forma correta da lei seja aplicada nas empresas e não cause problemas futuros”, disse Martins.

A LGPD impacta o dia a dia das empresas, trazendo uma série de obrigações que deverão ser observadas no tratamento de dados pessoais, sob pena de responsabilização judicial, bem como a necessidade de criação de sistemas e processos para que os novos direitos conferidos aos titulares dos dados pessoais possam ser exercidos plenamente.

Nesse sentido, o defensor público do Estado do Rio de Janeiro e especialista em LGPD, Felippe Borring Rocha, dimensionou as mudanças reforçando que os dados têm valor e hoje os bens são bens intangíveis. “Um possui imóveis. O grande patrimônio dessas empresas são as informações. As pessoas hoje descobriram que dados valem muito. Mas se você tem dados de uma pessoa e não dá o tratamento adequado, pode causar um prejuízo grave. Por isso, agora o mau uso dos dados pode causar responsabilidade penal para quem o praticou”, explicou.

De acordo com Borring, a forma como a empresa pratica o tratamento dos dados deve ser cuidadosa. “A empresa tem que ter uma política de gerenciamento dos dados armazenados. Hoje em dia, a rotina de um projeto envolve e-mails, fichas cadastrais, contratos, assinaturas digitais e senhas, ou seja, uma grande quantidade de informações  que tem que ser devidamente administradas”.

Borring lembrou que ao se pensar na proteção de dados pessoais deve-se ter em mente que tal direito visa conferir ao indivíduo a ingerência e manejo na administração de seus dados pessoais. A empresa precisa estabelecer tratamentos internos e externos, além de unir o departamento jurídico, de pessoal, e de tecnologia para gerir esses dados. “Para as empresas e profissionais agora é necessário o dobro de atenção ao manipular dados de forma geral. Pois se eles forem corrompidos ou usados ilicitamente, quais seriam as consequências? Não existe 100% de proteção no meio digital, mas deve-se tomar todo cuidado para evitar vazamentos”, disse.

Já o presidente da Comissão de Política de Relações Trabalhistas da CBIC, Fernando Guedes, acredita que a maioria das empresas já está consciente do que o mau uso dos dados pode causar, mas não sabe como proceder para evitar essa prática e ainda tem dúvidas sobre a partir de quando o sigilo, ou não, das informações é assegurado.

Questionado sobre essa dúvida do setor, Borring afirmou que não importa quando os dados foram coletados, a partir do momento que a lei entrou em vigor, eles estão protegidos. “O tratamento dos dados envolve coleta, armazenamento e transmissão. Se antes não precisava de consentimento para utilizá-los, agora a empresa precisa obter”.

O especialista destacou ainda que o objeto da lei não é criar problemas e sim segurança jurídica, o que passa pela segurança dos dados. “O mau tratamento dos dados é ruim para toda sociedade. A lei pode causar estranhamento neste primeiro momento, mas ao longo do tempo a sociedade vai assimilar e entender a importância dessa prática”, concluiu.

O ‘Quintas da CBIC’ é uma série especial de webinars e recebe convidados diferentes a cada quinta-feira, para tratar sobre assuntos de interesse da indústria da construção.

O evento tem interface com o projeto ‘Segurança jurídica na indústria da construção’ do Conjur/CBIC, com a correalização do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional)

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Fevereiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Ademi – SE
Sinduscon-PR
ADIT Brasil
AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
Sinduscon-JP
Sinduscon – Grande Florianópolis
Sinduscon-ES
SINDUSCON SUL CATARINENSE
Sinduscom-VT
Sinduscon-AM
Ademi – RJ
Sinduscon-AC
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet diyarbakır escort escort istanbul mersin escort mecidiyeköy escort çeşme escort
X