Logo da CBIC

AGÊNCIA CBIC

16/03/2021

Valorização da engenharia supera os desafios do ensino a distância

Ganha força o movimento de Valorização da Engenharia, iniciado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com apoio do Sistema Confea/Crea, na linha da educação continuada, da certificação profissional e de cursos de especialização online, base dos cursos da Plataforma Coursera, com formação por competências (skills). A nova parceria da CBIC com a E2D 500 contempla as 200 melhores universidades do mundo e mais de 5 mil cursos em diferentes áreas do conhecimento.

Importante lembrar que as novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN´s) das Engenharias estão baseadas em formação por competências e a plataforma possibilita o rastreamento de habilidades e competências (skills), sendo a Plataforma Coursera a única com capacidade de medir as habilidades reais desenvolvidas para níveis de proficiência específicos. Além disso, facilita a atualização dos profissionais de engenharia em relação às demandas das maiores e melhores empresas do País e do exterior no mundo 4.0, recuperando a acomodação observada nos primeiros 20 anos do século XXI.

“A educação digital se configura como a solução mais rápida para a valorização dos cursos e dos profissionais de engenharia. Essa mediação por tecnologia de informação e comunicação é o vetor principal para esse processo”, destaca o diretor da Coursera For E2D 500, Vagner Cavenaghi.

Desafios da valorização da engenharia via educação digital

Na percepção do mercado, conscientizar os profissionais e as empresas são os maiores desafios para a valorização da engenharia dentro da educação digital. “Cabe a todos nós, formadores de opinião, mostrar como estamos ficando defasados em termos de evolução tecnológica. O segmento da Engenharia e da Construção precisa avançar muito e só conseguirá na medida em que tenha uma equipe técnica com conhecimento para fazer isso acontecer. Temos, portanto, um mar de oportunidades para os profissionais, as empresas e o País”, avalia o presidente da Comissão de Obras Industriais e Corporativas (COIC) da CBIC, Ilso José de Oliveira.

No contexto da formação de engenheiros com a mediação de tecnologias e comunicação digital, “o desafio está em capacitar os docentes a ensinar para este novo mundo de educação mediada por tecnologia e comunicação (digital), que exige o domínio metodológico baseado na ciência cognitiva, por exemplo, a adotada pelo Coursera, ‘Mastery Learning’”, menciona o professor Aecio Lira, CEO Coursera For E2D 500.

Assim como conscientizar os docentes das melhores escolas de engenharia do Brasil de que a abordagem, da maioria delas, está obsoleta e não mais atende nos conteúdos e skills necessários para a formação no mundo 4.0, de computação intensiva de dados, com formação por competências, nas áreas de Tecnologia BIM, Inteligência Artificial, Internet das Coisas, dentre outras.

Na avaliação do presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger, a especialização em engenharia, por meios digitais, deve prezar pela qualidade da formação do profissional a fim de que ele obtenha o conhecimento, desenvolva as habilidades necessárias e se sinta seguro e responsável para cumprir as atribuições profissionais perante os clientes e a sociedade. “Não basta a simples diplomação, é primordial a sólida instrução profissional”, diz.

Para Krüger, no Ensino a Distância, alguns pontos das disciplinas de exatas são decisivos para a qualidade da formação. Os métodos pedagógicos não podem se concentrar apenas na fundamentação teórica, mas devem abranger cálculos, simulações, montagens e experimentos em laboratórios de qualidade. O processo de aprendizagem deve ser por meio de interação constante e feedback para que o pós-graduando tenha a oportunidade de refletir e rever conteúdo. Além disso, mecanismos devem assegurar lisura nos processos avaliativos.

Enquanto Sistema Profissional, temos discutido o Ensino a Distância em nossos fóruns e levado ao Ministério da Educação (MEC) as seguintes questões:
• Como devem ser os cursos?
• Inteiramente a distância?
• Uma porcentagem pode ser definida?
• Que matérias podem ser ensinadas a distância e quais exigem a presença dos alunos?

“A aproximação com o MEC tem o intuito de aprimorar a formação e o exercício profissional dos engenheiros, tão vitais para o desenvolvimento dos vários e estratégicos setores da economia brasileira”, menciona Joel Küeger.

Já para Vagner Cavenaghi, o grande desafio é romper as barreiras que as pessoas têm, principalmente as egressas da educação presencial, e instituições e professores ainda muito presos à educação presencial e não o de romper a tecnologia. “A tecnologia é muito fácil. Até a mais sofisticada disponível neste momento”.

Inscritos contam com curadoria, mentoria e tutoria

O grande diferencial da plataforma está relacionado à sua proposta de curadoria, mentoria e tutoria. Ao fazer a curadoria, a E2D 500 seleciona cursos que estão disponíveis e alinhados às demandas brasileiras e podem ser uma inovação no Brasil.

Em função da mentoria, liderada pelos professores curadores, Aécio Lira, Vagner Cavenaghi e Waldomiro Loyolla, os cursos da plataforma Coursera podem ser acompanhados no idioma português. O acompanhamento tem como finalidade:
• Gestão e liderança visando o devido engajamento dos alunos;
• Entendimento dos aspectos dos princípios pedagógicos;
• Aquisição de habilidades e competências, para a garantia e busca das oportunidades profissionais;
• Discussões, workshops, zoom “lives”, sobre o mundo 4.0;
• Perspectivas estratégicas do Curso.

Já as atividades de curadoria e tutoria (aspectos técnicos de cada disciplina), contam com o apoio de especialistas das várias áreas do conhecimento e respectivas competências a serem adquiridas em comunicação, marketing, finanças, RH, princípios de tecnologia, ferramentas de tecnologia, matemática e estatística.

Outro diferencial da E2D500 é a tutoria, que não é comum na plataforma global Coursera. O aluno pode, inclusive, mediante agendamento, ligar para o tutor e para o coordenador para tirar dúvidas. “A tutoria funciona numa relação mista de ensino digital, da educação digital, com a figura do professor/monitor da escola presencial e, bem executada, diminui a evasão”, menciona Cavenaghi.

Próximos passos

No próximo dia 26 de março, a plataforma dará início ao curso EAD (Ensino a Distância) de Gestão de Edificações e Obras de Infraestrutura, com uma degustação gratuita de sete dias para os que se inscreverem imediatamente. Garanta já sua vaga!

Além disso, na plataforma já estão previstas “coleções” de cursos curtos (“sementes”), médios (aperfeiçoamento/certificação) e longos (de especialização), nos eixos de:
• Sustentabilidade Empresarial
• Internet das Coisas
• Cidades Inteligentes e Sustentáveis
• Inteligência de Dados
• Tecnologia da Informação
• Tecnologia BIM

A iniciativa integra os projetos de ‘Inovação’ e de ‘Valorização da Engenharia’ da Comissão de Obras Industriais e Corporativas (COIC) da CBIC e atende às demandas do setor de avançar na capacitação e qualificação dos profissionais com ferramentas do mundo 4.0.

SAIBA MAIS

Degustação gratuita: CBIC apoia inédito curso online para engenheiros

 

COMPARTILHE!

Junho/2024

Parceiros e Afiliações

Associados

 
SINDUSCON SUL CATARINENSE
Sinduscon-JP
Ademi – DF
Ademi – ES
AELO
Sicepot-RS
Sinduscon-AP
APEOP-SP
Sinduscon – Lagos
ADEMI-AM
ASSECOB
Sinduscon Chapecó
 

Clique Aqui e conheça nossos parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 

Parceiros

 
Multiplike
Mútua – Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea