Logo da CBIC

Agência CBIC

16/12/2020

Último painel do 92º ENIC debateu a valorização da engenharia no país

A ‘Valorização da Engenharia no Brasil’ foi o tema do painel de encerramento do 92º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), realizado no dia 10 de dezembro. O painel também foi o último “Quintas da CBIC” de 2020.

A mesa redonda foi composta por grandes nomes da engenharia nacional. Ao todos foram sete representantes: da academia, dos conselhos, do conhecimento intrínseco (história), dos profissionais e das empresas. O objetivo do painel foi discutir a importância da engenharia sobre todos os pontos de vistas das áreas dos participantes.

Entre os painelistas estavam:

  • Presidente da Comissão de Obras Industriais e Corporativas (COIC/CBIC), Ilso José de Oliveira;
  • Presidente da Comissão de Infraestrutura (Coinfra/CBIC), Carlos Eduardo Lima;
  • Professor, PhD em Engenharia de Estruturas pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e consultor da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) Aécio Lira;
  • Presidente da Sociedade Mineira de Engenheiros, Virginia Campos de Oliveira;
  • Presidente do Instituto de Engenharia, Eduardo Lafraia, e
  • Presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), Joel Krüger.

Com mediação do presidente da CBIC, José Carlos Martins, o painel encerrou a maratona online do 92º ENIC homenageando todos os engenheiros e engenheiras brasileiros, em especial ao engenheiro Joaquim Cardozo, que possibilitou a concretização dos ousados traços de Oscar Niemeyer. “É um orgulho pertencer a esse grupo”,  enalteceu José Carlos durante as boas-vindas aos painelistas e participantes.

Durante o evento, o presidente da COIC/CBIC, Ilso Oliveira, ressaltou a importância da engenharia frente aos valores totais dos projetos. “A engenharia representa cerca de 5% do valor total do projeto, sendo que é responsável direta pelo sucesso e segurança do empreendimento”. Ele ainda pontuou sobre o imenso custo dos atrasos em obras e o quanto vale a falta da engenharia e a engenharia deficitária.

O professor Aécio Lira tratou do ensino superior e lembrou que o Brasil tem um belo elenco de instituições de valor internacional, com algumas reconhecidas e renomadas como o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Mackenzie, a Politécnica da USP, entre outras. Porém, externou sua preocupação com a qualidade do ensino da engenharia em instituições menos reconhecidas e jogou a seguinte provocação:  “Falar de valorização da engenharia é responder à seguinte pergunta: as nossas ações entregam valor de verdade?” Aécio abordou também os cenários do mundo 3.0, do  mundo 4.0  e da tecnologia BIM (Building Information Modeling) na engenharia.

De acordo com o presidente do Instituto de Engenharia, Eduardo Lafraia,  é preciso haver uma mudança de cultura para que a engenharia seja usada de forma correta. ”Quando se faz um empreendimento, é preciso pensar no ciclo de vida dele. Qual engenharia será jogada dentro desse projeto? É preciso pensar a médio e longo prazos”, exemplificou. Lafraia ponderou também sobre os problemas da educação básica brasileira. Ele acredita que para investir na engenharia é preciso investir também na educação básica brasileira. Ele contou que participou de um seminário sobre educação que apresentou um dado importante, 40 % dos erros da prova de matemática ocorreram porque os alunos não entenderam o problema. Lafraia concluiu que é preciso fazer uma campanha em prol da educação para assim melhorar a engenharia brasileira.

Para Joel Krüger, presidente do Confea, é preocupante o número de estudantes que são proficientes em matemática no país. “140 mil estudantes proficientes em matemática, é pouco”, apresentou. O presidente do Confea ressaltou também sobre um projeto, que conta com a participação do Confea, do Ministério da Educação (MEC), da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Associação Brasileira Nacional de Engenharia, a fim de melhorar a qualidade dos cursos de engenharia. Krüger contou também que o conselho tem buscado ficar mais próximo do setor empresarial e mencionou sobre a recente e importante aprovação no Legislativo do Projeto de Lei (PL) 4.253/2020 que veio para substituir a lei das licitações (Lei 8.666/1993).

Krüger, ao responder os questionamentos dos participantes, expôs sua opinião sobre a temática do “exame de certificação de engenharia”, uma prova a ser aplicada aos engenheiros nos moldes do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O presidente do Confea não é favorável ao exame para os engenheiros. “Acredito que não vai resolver o nosso problema de qualidade,  só vai criar mais uma barreira”, justificou.

Virginia Campos, presidente da Sociedade Mineira de Engenheiros, comentou sobre a importância da percepção da sociedade acerca do valor da engenharia. “A engenharia está em tudo, mas nem sempre o cidadão tem essa percepção”, destacou. Ela complementou ainda dizendo que geralmente essa percepção está ligada à infraestrutura e a construção civil, mas lembrou que a engenharia está também no enfrentamento à covid-19, como a engenharia genética.

O presidente da Comissão de Infraestrutura (Coinfra) da CBIC, Carlos Eduardo Lima, também acredita na importância de mostrar o quanto a engenharia está presente no dia a dia das pessoas e na inclusão social.  Ele lembrou da luta pela aprovação no Congresso Nacional do marco legal do saneamento básico em 2020, o PL 4.162/2019.

Lima lembrou do “Labirinto das Obras Públicas”, projeto da Coinfra que percorreu diversos estados do Brasil para entender os entraves locais, buscou soluções para destravar as obras públicas das regiões e  que também foi tema de painel específico do  92º ENIC. “As empresas do setor da construção tentam ser mais eficientes no setor público, mas há um grande desincentivo a isso nos órgãos de controle e na gestão pública”, relatou.

Acesse
a íntegra do evento
.

O 92º ENIC foi realizado pela CBIC e correalizado por Asbraco-DF, Sinduscon-DF e Ademi-DF. O evento tem como patrocinador silver o Sebrae, como patrocinador platinum Arcelormittal Brasil e Caixa Econômica Federal, e conta com o apoio de Sesi Nacional e Senai Nacional.

Este painel integra o projeto “Fortalecimento das Empresas de Obras Industriais e Corporativas” da COIC/CBIC com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
APEOP-SP
SINDUSCON SUL CATARINENSE
Sinduscon-MA
Sinduscon-RR
AELO
Sinduscon Sul – MT
Sinduscon-Brusque
Sinduscon-PR
Sinduscon-AM
Sinduscon-DF
Sinduscon-RS
APEMEC
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X