Logo da CBIC

Agência CBIC

12/02/2014

Preços de novos imóveis aumentaram 20% no ano passado, indica Secovi-SP

"Cbic"
12/02/2014

DCI – Comércio, Indústria e Serviços

Preços de novos imóveis aumentaram 20% no ano passado, indica Secovi-SP

Mesmo com a alta, mercado residencial e comercial se recupera de quedas e volta a crescer em 2013

Amauri Vargas

SÃO PAULO – A venda de imóveis com apenas um dormitório dobrou no ano passado para mais de 8 mil unidades, e o segmento puxou uma alta no custo de empreendimentos novos estimada em 20%, na cidade de São Paulo. Apesar da procura por esse perfil de imóvel, ainda prevalece a comercialização de casas e apartamentos com dois quartos. "O aumento no preço dos imóveis se deu graças ao aumento de insumos, preço de terreno e a elevação de contrapartidas do meio ambiente, transportes e restrições legais", afirma o presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Claudio Bernardes.

Mesmo com a valorização que rendeu uma alta de 20% no custo, o mercado se recuperou no ano passado. Houve a comercialização de mais de 33 mil imóveis na cidade, ou seja, um aumento de 23,6% em relação ao ano de 2012. Considerando a região metropolitana, esse número chegou a 58 mil unidades vendidas – o que representou uma movimentação de R$ 20 bilhões.

As informações foram divulgadas ontem, durante evento do Secovi-SP. A entidade aponta que as incorporadoras têm procurado terrenos localizados em áreas que permitam fácil locomoção, e com a estratégia de investir mais em imóveis diminutos, mesmo com preços menores, no final o valor por metro quadrado fica altamente valorizado. Por isso, aliás, houve a diminuição de lançamentos dos empreendimentos comerciais no ano passado.

Apesar da disparada de vendas de unidades de tamanho menor, os lançamentos de dois dormitórios continuaram com a maior fatia do mercado e representação de 40% na cidade. No que diz respeito aos valores, como noticiado ontem pelo DCI, o metro quadrado mais caro da cidade está no bairro da Vila Nova Conceição, na zona sul da capital, avaliado em R$ 13 mil. Já o valor médio na cidade é cerca de R$ 8,6 mil, segundo apuração da imobiliária Coelho da Fonseca, que consulta valores em 22 bairros de São Paulo. Para o sindicato, porém, o preço dos imóveis deverá manter valores estáveis ao longo deste ano.

Gargalo

Na opinião do vice-presidente de incorporação dos terrenos urbanos do Secovi-SP, Emilio Kallas, o principal gargalo do setor ainda está na burocracia dos órgãos reguladores. "Temos áreas que devem ser aprovadas e outras que precisam de aprovação de órgãos como o Iphan e a Cetesb. Às vezes os técnicos ou o órgão não sabem que vão ajudar a sociedade, não só os empreendedores. O ideal seria usar mais os terrenos e com menos restrições do que as impostas ao setor", conclui. Mesmo com a estabilidade do mercado, a previsão é de que o crédito imobiliário registre elevação de 15% em 2014.

"O aumento no preço se deu graças ao incremento de insumos, preço de terreno e a elevação dos transportes e restrições legais"



"Cbic"

 

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Outubro/2020

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

30Out10:0012:30Roadshow: formação de preços e relações contratuais10:00 - 12:30 Mato Grosso do Sul - Online

30Out16:0017:30Webinar Coleta e Apuração do Índice Nacional de Custo da Construção - INCC/FGVV16:00 - 17:30 Via Zoom

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sindicopes
Sinduscon-AM
Sinduscon-BC
AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
Ademi – GO
Sinduscon – Grande Florianópolis
ADEMI-AM
Ademi – MA
Sinduscon-GO
Sicepot-PR
Ademi – DF
ASEOPP
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme vaporesso diziizlepaylas betpark giriş betgaranti kolaybet oleybet diyarbakır escort escort istanbul escort izmir
X