Logo da CBIC

Agência CBIC

22/08/2018

Planejamento e segurança jurídica são chaves para destravar investimento em infraestrutura

A retomada do investimento em infraestrutura passa pela iniciativa privada e depende de uma melhoria no ambiente de negócios — nesse campo, o planejamento e a segurança jurídica são essenciais para resgatar a confiança do investidor. Essa é a síntese do painel “Infraestrutura, destravando o crescimento econômico”, que abriu o segundo dia de atividades do Congresso Aço Brasil 2018, na cidade de São Paulo. “Esse debate é essencial para o País”, avaliou Benjamin Mário Baptista Filho, conselheiro do Instituto Aço Brasil e presidente da ArcelorMittal Brasil. “Precisamos mudar a mentalidade e focar no resultado final”, afirmou José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Durante o painel, Martins apresentou um panorama da indústria da construção e reiterou a importância da infraestrutura como vetor de desenvolvimento e geração de novos empregos no país. “O momento exige decisões que restabeleçam a segurança jurídica. Não é concebível vivermos como vivemos hoje”. Para ele, a indústria nacional, e notadamente a construção civil, tem todos os atributos necessários para ajudar o país a sair da crise. “Nós não queremos dinheiro público. Nos basta condições para trabalhar, em um mercado com regras claras e perenes”.

Líder do programa de infraestrutura e desenvolvimento sustentável do Banco Mundial, Paul Procee, destacou que o Brasil investe a metade da média de outros países em infraestrutura e apontou como desafio a melhoria na qualidade dos gastos. “Não basta gastar mais dinheiro, é preciso gastar melhor”, afirmou. Segundo ele, o principal problema do Brasil hoje é a falta de planejamento. “O investidor quer entrar, mas não tem perspectiva de futuro”, comentou.

No mesmo painel, Eliana Taniguti, diretora da E8 Inteligência apresentou estudo mapeando o consumo potencial de aço com a plena execução das obras listadas no PPI — foram avaliados 54 projetos, em cinco segmentos (aeroportos, ferrovias, rodovias, óleo e gás, porros), que juntos significariam o investimento de R$ 94,7 bilhões. “Se forem realizadas, essas obras consumirão 8,4 milhões de toneladas de aço.

Mobilização — O painel matinal foi precedido por apresentação da Transparência Internacional, organização presente em 110 países e dedicada ao combate à corrupção, que convidou a plateia de empresários a engajar-se no movimento Unidos contra a Corrupção, que envolve um pacote de 70 medidas para coibir a prática de desvios. “Desde 2012, o Brasil tem o pior desempenho entre os países pesquisados”, afirmou Bruno Brandão, diretor-executivo da Transparência Internacional Brasil. A expectativa é mobilizar a sociedade para influenciar o processo eleitoral e induzir mudanças no país. “É o momento de apoiar candidatos com um passado limpo, que se compromete com a democracia e apoie o pacote anticorrupção”, adiantou. “A corrupção é o maior problema do Brasil hoje e deve ser parte de qualquer debate”, comentou o presidente da CBIC.

COMPARTILHE!

Agenda da Construção

Maio, 2019

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento hoje

Eventos

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon-GO
Sinduscom-SL
Sinduscon-Joinville
Ademi – AL
Sinduscon-AC
Sinduscon-DF
Sinduscom-NH
Sinduscon-SF
Sinduscon-MS
Sinduscon-BC
Sinduscon-Porto Velho
Sinduscon-MG
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
X