Logo da CBIC

Agência CBIC

06/09/2012

Norma de desempenho: aplicação do conceito de desempenho será lenta e gradual, porém irreversível

Termina no próximo dia 13 de setembro o prazo para que o setor da construção participe da consulta pública nacional da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) sobre a Norma de Desempenho (NBR 15.575).

Para o coordenador da Norma de Desempenho versão 2008, vice-presidente de Tecnologia do Secovi-SP e sócio diretor da Construtora Tarjab, Carlos Borges, a Norma de Desempenho é  um importante instrumento para o consumidor exigir maior qualidade das obras. “Como a Norma define claramente quais são os  requisitos de desempenho e a forma de mensurar se os níveis desejados foram atingidos ou não, fica mais fácil e menos subjetivo a verificação da qualidade”, diz Carlos Borges.

Seis partes da Norma de Desempenho (NBR 15.575), que trata de Edificações Habitacionais – Desempenho estão em votação. Os textos, objetos de votação, são: Requisitos Gerais (NBR 15575-1); Sistemas estruturais (NBR 15575-2); Sistemas de pisos (NBR 15575-3); Sistemas de vedações verticais internas e externas (NBR 15575-4); Sistemas de coberturas (NBR 15575-5), e Sistemas hidrossanitários (NBR 15575-6). Para o setor da construção, Carlos Borges entende que a nova Norma será um divisor de águas. “Ela exige um novo modelo mental para concepção de produtos imobiliários, que envolve toda a cadeia produtiva.

E uma nova metodologia de projeto que exigirá um nível de conhecimento  e informações muito maiores do que existe hoje, além de uma visão de longo prazo”. Para Borges, a aplicação do conceito de desempenho será lenta e gradual no Brasil pela quantidade de agentes envolvidos e pelo estágio técnico do setor, mas não tem dúvidas de que será um processo irreversível.

No que diz respeito ao desempenho acústico, ele diz que foi criada uma tabela que classifica a região onde vai ser construída a edificação em baixo, médio e alto  nível de ruído, permitindo que seja adotado um critério de projeto sem a medição do ruído externo com uso de decibelímetro.

Para Carlos Borges, isso facilitou a vida do construtor.

No que se refere aos materiais que deverão ser ensaiados conforme a NBR 15.575, Borges esclarece que a Norma de Desempenho não exige que seja feito nenhum ensaio, apenas indica vários ensaios que podem ser feitos seja pelo construtor ou por outra parte interessada para verificar se o desempenho desejado foi atingido.

“Numa primeira fase, creio que os ensaios serão feitos para avaliação do desempenho de obras prontas, em situações de conflito entre construtor/incorporador e usuário. Os construtores terão que fazer um investimento inicial para caracterizar o desempenho dos sistemas construtivos que vão utilizar para as obras, mas com o tempo não precisarão mais realizar ensaios, pois já conhecerão previamente o desempenho dos sistemas que utilizam. A dificuldade inicial é sair da inércia, depois será mais fácil ao longo do tempo. Especificamente quanto aos materiais, será obrigação dos fabricantes divulgarem o seu desempenho, pois estas informações serão fundamentais para a especificação adequada por parte dos projetistas. Teoricamente, todos os materiais que são utilizados para a construção civil deverão ter seu desempenho caracterizado, com o tempo teremos uma biblioteca de desempenho de materiais”, destaca.

A consulta está disponível no link http://www.abntonline.com.br/consultanacional/default.aspx. Clique no link do “ABNT/CB-02 Construção Civil” para ter acesso às seis partes da Norma. Para visualizar e votar, é preciso apenas criar o ABNT Passaporte (nome, CPF, email e senha). O processo é rápido e simplificado. Clique aqui para acessar o passo a passo para a votação.

Agenda de Eventos e Transmissões

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon-RN
Ademi – SE
Sinduscom-SL
Ascomig
Sinduscon-RS
Ademi – PE
ASBRACO
ASSECOB
Sinduscon-MS
Sinduscon Anápolis
Sinduscon-TAP
Aconvap
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC