Logo da CBIC

CBIC`s Agency

12/08/2020

IVV de junho bate recorde e mercado imobiliário consolida reação no DF

O Índice de Velocidade de Vendas (IVV) do mercado imobiliário do Distrito Federal alcançou 11,1% no mês de junho, fechando o primeiro semestre de 2020 com resultado recorde. A última rodada da pesquisa registra o lançamen­to de sete novos empreendimentos residenciais, com a oferta de 678 novas unidades e a venda de 337 imóveis. As vendas acumuladas em 2020 alcançaram 1.118 unidades.

O melhor junho da série histórica do estudo, iniciado há seis anos, mostra que incorporadoras e construtoras do DF atravessaram com sucesso as incertezas geradas pelo novo coronavírus (Covid-19), se adaptaram e estão preparadas para um novo ciclo de crescimento no pós-pandemia.

“Junho foi um mês espetacular para o nosso setor, um momento virtuoso do mercado, consolidando a percepção de que o imóvel é uma grande oportunidade de investimento e ainda mais importante para a qualidade de vida das pessoas”, avalia Eduardo Aroeira Almeida, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF) e vice-presidente Administrativo da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

De janeiro a junho, o mercado imobiliário do DF acumulou Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 881,26 milhões em unidades lançadas e R$ 678,86 milhões em unidades vendidas.

 

 

“A maior velocidade de vendas da série histórica chega para comprovar o que já vínhamos observando: o mercado imobiliário é a bola da vez. Para morar ou investir, o momento é ideal para a compra de imóveis”, avalia Adalberto Valadão Júnior, vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF).

O IVV acompanha o desempenho do mercado imobiliário do Distrito Federal. Iniciativa da Ademi-DF em parceria com o Sinduscon-DF, a pesquisa é realizada pela Opinião Informação Estratégica. A coleta de dados é mensal, junto às construtoras e incorporadoras mais representativas do mercado.

Tendência de valorização – Para o presidente da Ademi-DF, além dos reflexos da crise sanitária – que induziu maior interesse pela compra de imóveis; fatores de ordem macroeconômica influenciaram o resultado de junho, entre eles o maior acesso ao crédito para o comprador, em condições mais favoráveis. “Foi um mês significativo para o financiamento habitacional, que bateu recorde no volume de recursos, com R$ 29 bilhões. É o maior volu­me de recursos desde janeiro de 2015”, explica Aroeira.

“Os juros muito baixos têm reduzido a rentabilidade dos investimentos tradicionais e trazido o investidor de volta para o mercado imobiliário”, acrescentou o vice-presidente do SINDUSCON-DF. “É grande o potencial de valori­zação do imóvel”, disse Adalberto.

 

 

Resultados positivos – Todos os parâmetros avaliados pela pesquisa IVV demonstram que, em junho, o mercado imobiliário manteve o comportamento de recuperação dos meses anteriores, com um maior aquecimento da venda de imóveis residenciais no DF. Comparada com maio, por exemplo, a velocidade de vendas cresceu 22,1% e a oferta de novas unidades subiu 25,4%. A venda de imóveis registrou arrancada significativa, com resultado 53,2% superior: no mês de maio, foram comercializadas 220 unidades.

Uma análise dos dados mostra que maio e junho foram os melhores meses para o setor em 2020. Mesmo o de­sempenho médio do segundo trimestre, impactado pela crise sanitária, foi positivo, com crescimento de 7,7%. “Há um conjunto de fatores para explicar esse resultado. A taxa Selic, que orienta a economia, despencou e ao mesmo tempo foram reduzidas as taxas do financiamento imobiliário, criando melhores oportunidades para a compra de imóveis”, explica o presidente da Ademi-DF. “Além disso, houve uma busca maior por imóveis, inclusive por unidades de maior tamanho, fruto da pandemia, que ressignificou a importância da moradia”.

 

 

Em junho, o ranking de vendas foi liderado pelo setor Noroeste com 71 unidades comercializadas; seguido das re­giões de Santa Maria, 68 imóveis; e Planaltina, 51 unidades. Segundo a pesquisa IVV, 72,4% dos imóveis residen­ciais comercializados em junho estão em obra e 27,6% estão prontos. O estoque de imóveis residenciais alcança 3.039 unidades no Distrito Federal, o suficiente para atender a demanda pelos próximos nove meses.

“Esses números são importantes para o DF. Combinados com os últimos dados do Caged mostram que o setor da construção foi o segmento que mais colaborou para a criação de novos postos de trabalho, aliviando o desem­prego”, acrescenta o presidente da Ademi-DF.

 

 

(Com informações da Ademi-DF/Sinduscon-DF)

COMPARTILHE!

Construction Agenda

september/2020

Filter Events

mon

tue

wed

thu

fri

sat

sun

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

24sep09:3012:00Reunião virtual da Comissão de Responsabilidade Social da CBIC.09:30 - 12:00 Via Zoom

24sep17:0018:00Quintas da CBIC: Perspectivas para o novo momento político e econômico do país.17:00 - 18:00 Via Zoom

24sep18:0019:00Quintas da CBIC: Reequilíbrio dos Contratos Públicos e Privados.18:00 - 19:00 Via Zoom

Partners and Affiliations

Partners

 
Sinduson – GV
Sinduscon-RR
Sinduscon Sul – MT
Sinduscon-CE
Abrainc
Sinduscon-Brusque
SINDUSCON – SUL
Sinduscon-TAP
Ademi – RJ
Sinduscon-Teresina
ADEMI – BA
Sinduscon-BC
 

Click Here and check our partners

Affiliations

 
CICA
CNI
FIIC
 
X