Logo da CBIC

Agência CBIC

15/06/2012

Indústria quer incentivo para ser mais verde

"Cbic"
15/06/2012 :: Edição 339

 

O Globo/BR 15/06/2012
 

Indústria quer incentivo para ser mais verde

CNI afirma que o setor está mais sustentável do que há 20 anos e acusa não só o governo como a população por serem os verdadeiros poluidores do planeta

 Ao mesmo tempo em que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) quer construir, na Rio+20, a imagem de que a indústria brasileira é uma das mais verdes do mundo, iniciou uma luta por incentivos fiscais para ampliar a produção de produtos de forma sustentável. O presidente da entidade, Robson Andrade, afirmou que ainda não há um projeto finalizado, mas que vai levar o assunto para ser debatido no governo: – Estamos colocando essa proposta: que os governos estudem uma redução de impostos para quem realmente investe em responsabilidade ambiental. É uma forma de se reconhecer o trabalho de setores importantes – disse, durante o evento "Encontro da Indústria para a Sustentabilidade", que ocorreu ontem em um hotel no Rio.
 Andrade disse que, como há muitos impostos, a redução pode ser "em qualquer imposto".
 Ele lembrou que já há muitos incentivos no Brasil para produzir, como por exemplo na Zona Franca de Manaus. O que falta, porém, são estímulos a mais para empresas que já tenham consciência ambiental.
 Para Andrade, a indústria no Brasil é ambientalmente responsável, até mesmo por questão de sobrevivência. A cobrança deveria ser direcionada a outros setores: – A indústria está fazendo seu papel. As críticas deveriam ser dirigidas aos que poluem hoje: a população, a sociedade, o governo. Os governos são os grandes responsáveis pela poluição. As indústrias são ambientalmente responsáveis por dois motivos: pela legislação e pelo consumidor, que quer produtos sustentáveis.
 Para a indústria, a questão ambiental não é apenas uma questão de responsabilidade ambiental, é uma questão de sobrevivência.
 Documento aponta avanços em 16 setores
 A CNI mapeou 16 ações de diversos segmentos para provar que as fábricas brasileiras fizeram o dever de casa nos últimos 20 anos. O documento completo foi apresentado ontem e indica que as empresas investiram na inclusão de equipamentos e produtos menos poluentes e mais eficientes no consumo de energia. Alguns setores alcançaram patamares altos de reciclagem e são muitos os relatos de soluções para o aproveitamento de resíduos industriais.
 O texto indica, por exemplo, que o setor sucroalcoleiro é autossuficiente em energia, por fazer geração a partir do bagaço da cana. Outro destaque é no setor de elétrica e eletrônica, que aboliu definitivamente em 2010 o CFC, gás que causa buracos na camada de ozônio. O mesmo ocorre no setor de máquinas e equipamentos, que busca a eficiência energética.
 Os dados do setor foram confirmados por ambientalistas. No entanto, eles ponderam que ainda há muito a ser feito.
 – Realmente a indústria brasileira fez avanços incríveis, chegou a se antecipar aos países ricos na eliminação do CFC, mas ainda há muitas coisas a serem feitas, como o inventário de carbono.
 Poucas indústrias e setores sabem efetivamente o tamanho de suas emissões de gases do efeito estufa – afirmou Bazileu Alves Margarido, do Instituto Democrático Sustentável (IDS).
 Mário Mantovani, do SOS Mata Atlântica, disse que a indústria brasileira ainda tem uma imagem de poluidora que vem da década de 1970, quando o Brasil, na Conferência de Estocolmo, adotou o discurso que preferia a poluição à pobreza. Um exemplo dessa época é o caso da cidade de Cubatão (SP). Ele lembra que uma legislação mais rígida, controles sociais e, principalmente, o medo de danos à imagem causaram esta alteração: – Hoje não se vê notícias de indústrias despejando lixo na natureza, coisa que 80% dos municípios brasileiros ainda fazem – disse.
"Cbic"

 

Agenda de Eventos e Transmissões

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
ANEOR
Sinduscon-Pelotas
Sinduscon-Brusque
Sinduscon-TAP
Sinduscon-AC
Sinduscon-Joinville
Sicepot-PR
SECOVI-PR
AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
Sinduscon – Foz do Rio Itajaí
Sinduscon – Norte
SECOVI- PB
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC