Logo da CBIC

Agência CBIC

28/07/2018

Indústria da construção comemora Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho

Apesar da redução do número de ocorrências, combate ao acidente de trabalho é tema estratégico do setor, que luta por “acidente zero”

Ao celebrar o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho nesta sexta-feira (27/07), o setor da construção reforça a importância de ações como a da Campanha Nacional da Indústria da Construção – CANPAT Construção para a redução do número de acidentes no setor e salienta que prevenir não deve ser visto como custo e sim investimento. “É muito mais caro remediar os danos econômicos e sociais gerados por acidentes de trabalho, do que prevenir”, diz o presidente da Comissão de Política de Relações Trabalhistas (CPRT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Fernando Guedes Ferreira Filho. “Caro para o empregador que, após um acidente, perde produtividade, paga tratamentos e indenizações, vê sua equipe entristecida e desmotivada, e caro para o empregado, que pode ver restrita a sua capacidade de trabalho e sua convivência com amigos e familiares, ter sua saúde debilitada e perder qualidade de vida”, completa.

Há anos a indústria da construção vem trabalhando para criar a cultura de prevenção. “O setor busca levar para as empresas e os trabalhadores a consciência da prevenção. Não adianta atuar na consequência. É a prevenção que vai diminuir o número de acidentes”, destaca o diretor de Políticas e Relações Trabalhistas do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), Izidio Santos.

“Investir em segurança dá lucro às empresas”, enfatiza o presidente do Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP) e vice-presidente de Relações Capital-Trabalho e Responsabilidade Social do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), Haruo Ishikawa, lembrando que “as empresas brasileiras também estão investindo muito na qualificação, capacitação e treinamento na área de Segurança e Saúde no Trabalho”.

QUEDA NO NÚMERO DE ACIDENTES

Segundo dados do Anuário Estatístico do Ministério da Previdência Social, a construção civil registrou uma queda significativa de 20% no número de acidentes em 2016 (34.809), se comparado a 2015 (43.334). No ranking das atividades econômicas, o segmento construção de edifícios ocupa o 4º lugar no registro de acidentes e o de construção de rodovias e ferrovias o 17º lugar. Os maiores incidentes no setor estão relacionados a choque elétrico, queda e soterramento.

Para a CPRT/CBIC, o combate a essas ocorrências merece uma atuação conjunta: o empregador deve aplicar corretamente os procedimentos e as normas de segurança previstos na legislação e o empregado deve usar corretamente seus equipamentos. Até porque, mesmo sem levar em consideração a redução do número de empregados em consequência da crise econômica nacional, “o número de acidentes ainda é inaceitável”, destaca Fernando Guedes. “A meta do setor da construção é acidente zero”, defende Fernando Guedes.

INICIATIVAS DO SETOR

O combate ao acidente de trabalho é tema estratégico na agenda da indústria da construção. Várias são as iniciativas do setor da construção em busca dessa redução. Uma das principais ações estratégicas da CBIC para combater a informalidade e fomentar a segurança, saúde e o bem estar do trabalhador da construção, realizada em conjunto com os principais atores de Segurança e Saúde do Trabalho (SST) – Sesi, Serviços Sociais da Indústria da Construção (Seconcis) e Ministério do Trabalho (MTb) –, é a CANPAT Construção, que visa induzir ainda mais a redução da incidência desses acidentes e tornar o ambiente mais produtivo e seguro.

A campanha é realizada por meio de eventos regionais de mobilização. Seu objetivo é conscientizar empresários e trabalhadores e estimular o diálogo com integrantes da Fiscalização do Trabalho, disseminando informações e um conjunto de ações para que se combata o acidente. “A melhor forma de promover saúde e segurança no trabalho é informar e conscientizar empregados e empregadores sobre a importância de seguir as regras estabelecidas, assim como disseminar boas práticas que possam ser replicadas”, reforça Fernando Guedes, destacando que esse é o propósito da CANPAT Construção ao difundir as melhores práticas utilizadas no setor, os programas que deram certo, os produtos desenvolvidos pela CBIC e pelo Sesi Nacional, que ajudam a combater a incidência de acidentes e doenças ocupacionais, além de ter o Ministério do Trabalho orientando os empregadores sobre as consequências e penalidades das ocorrências.

Ao longo dos últimos anos, a CPRT/CBIC também tem desenvolvido ações em prol da prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, que podem contribuir para a construção do Sistema de Gestão para Segurança e Saúde no Trabalho (SGSST) das empresas, além de ferramentas, como a do Simulador de Custo de Acidentes, vídeos orientativos e programas de gestão em SST para administração e operação de atividades nos canteiros de obras, e manuais e guias sobre temáticas específicas para Segurança e Saúde no Trabalho. Todos esses materiais estão disponíveis para consulta e download no site da CBIC no link: http://www.cbic.org.br/relacoestrabalhistas/publicacoes/

Representando o setor, a entidade participa ativamente de comitês que tratam de normas de SST no âmbito do Ministério do Trabalho (MTb) – como no Comitê Permanente Nacional (CPN), que discute a revisão da NR-18, que trata das Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Ao longo dos anos, o setor tem buscado soluções para a prevenção de acidentes e a criação de ambientes cada vez mais seguros e saudáveis para o trabalhador. Com esse objetivo foram criados os Serviços Sociais da Construção (Seconcis) em diversas unidades da Federação, que realizam mais de 2 milhões de atendimentos preventivos em segurança e saúde do trabalhador por ano. O segmento é o único a promover assistência aos trabalhadores, totalmente subsidiada pelos empresários da construção.Outra conquista, resultado do acordo de governança assinado em 2012 entre a CBIC, o Sesi Nacional e o Serviço Social da Indústria da Construção Civil (Seconci Brasil), é a do Programa Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho para a Indústria da Construção (PNSST-IC). O PNSST-IC é um programa de inovação tecnológica em SST. Seu principal objetivo é contribuir para a eliminação ou redução do número de doenças e acidentes no trabalho na indústria da construção, com ênfase nos acidentes fatais e incapacitantes. Por meio dele, vários guias e vídeos orientativos já foram produzidos e têm sido disseminados durante a CANPAT Construção, por meio do Sesi Nacional.

SETOR DA CONSTRUÇÃO REGISTRA MENOS OCORRÊNCIAS DE ACIDENTES EM 2016, SEGUNDO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA

  • Em 2016 foram registradas 12.227 ocorrências de acidentes de trabalho no segmento de construção de edifícios, sendo que apenas 9,13% não tiveram anotação de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT). Também houve baixa incidência de doenças de trabalho, com 169 ocorrências, pouco mais de 1,38% do total.

  • O segmento de Obras de Infraestrutura registrou 11.293 ocorrências de acidentes de trabalho em 2016. Desse total, 82,04% foram classificados como típicos. Em 16,85% não houve emissão do CAT correspondente e 1,11% foi relativo a doenças do trabalho.

  • O segmento de Serviços Especializados para Construção reduziu para 5.942 acidentes de trabalho em 2016, quando foram registrados 96 casos classificados como de doença de trabalho. Entre 2008 e 2013 o número de registros sem emissão de CAT vinculados ao segmento se situava na casa dos 3000 casos/ano. Pelo segundo ano consecutivo, o registro de casos sem a emissão de CAT ficou próximo a casa das 550 ocorrências ano, o que pode indicar uma redução da informalidade. Ao longo do período analisado (2008 a 2016) houve uma redução de 4,42% ao ano no número total de acidentes de trabalho no segmento.

IMPACTOS DO ESOCIAL NA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

Com a entrada em vigor do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), a partir de janeiro de 2019 todas as empresas estarão obrigadas a comunicar ao governo, de forma unificada e eletrônica, as rotinas de SST como comunicações de acidente de trabalho.

A CBIC tem alertado as empresas do setor sobre a importância de entenderem o sistema e se prepararem para os custos que terão com tecnologia da informação, pessoas e processos, necessários para garantir sua aplicação e evitar multas.

A plataforma Sesi Viva Mais, voltada para a gestão de dados pode ser vista como uma solução de baixo custo para auxiliar as médias e pequenas empresas do setor no cumprimento do eSocial.

DIA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO

Há 46 anos o Brasil deu um passo importante na valorização dos seus trabalhadores.

Na década de 70, o País atravessava um período frágil em relação à segurança e saúde dos trabalhadores, com elevados números de acidentes no trabalho. Para se ter uma ideia, o Brasil era conhecido como o campeão mundial de Acidentes do Trabalho. Com pouco mais de 10 milhões de trabalhadores formais, foram registrados mais de 1,5 milhão de acidentes e cerca de 4 mil mortes por ano.

Em 27 de julho de 1972, o Ministério do Trabalho regulamentou a formação técnica em Segurança e Medicina do Trabalho e tornou obrigatória a existência do Serviço Especializado em Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) nas empresas, o que tornou o País pioneiro na iniciativa de ter um serviço obrigatório de segurança e medicina do trabalho. A data passou a ser celebrada como o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho.

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Agosto/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
ASSECOB
Sinduscom-NH
Sindicopes
Sinduscon-SE
Sicepot-PR
APEOP-PR
Sinduscon-Brusque
SECOVI-SP
AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
Sinduscon-JP
SECOVI-PR
Sinduscon-RN
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
yabancı film izle Tekne Kiralama betboo karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet vaporesso vdcasino vdcasino giriş vdcasino sorunsuz giriş vdcasino yeni giriş betpark giriş betgaranti kolaybet diyarbakır escort escort istanbul istanbul escort bayan
X