Logo da CBIC

Agência CBIC

02/12/2020

Empresários unânimes no ENIC: as reformas são essenciais e urgentes

Dirigentes empresariais que participaram, nesta quarta-feira (2), do último painel virtual do dia no 92º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC) foram unânimes: as reformas tributária e administrativa, em tramitação no Congresso Nacional, são essenciais e urgentes para aumentar a produtividade da economia e, em conseqüência, para o desenvolvimento do país.

Houve consenso sobre a necessidade das reformas entre o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, que coordenou o painel Construção e o novo momento econômico do Brasil’ , os presidentes da Arcelor Mittal,  Jefferson De Paula, e da MRV Engenharia, Rubens Menin,  e o diretor técnico do Sebrae nacional, Bruno Quick.

“O Brasil não terá crescimento sustentável sem as reformas e não pode ficar mais neste vôo de galinha de crescer,  recuar, crescer”, sentenciou Jefferson De Paula, que preside no país o maior grupo siderúrgico do mundo e líder, no Brasil, na produção de aço para a construção civil.

“Temos de modernizar a agenda do Brasil com as reformas, porque o mundo está se modernizando e não podemos ficar para trás”, assinalou por sua vez Rubens Menin, que comanda uma das maiores construtoras brasileiras, com subsidiária nos Estados Unidos.  Para Bruno Quick, “não é possível que o Congresso, com discussões menores aqui e ali, continue adiando a votação das reformas”.

“Temos de encarar de frente e de peitar a necessidade das reformas acontecerem. Não é possível que a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados atrase ainda mais a votação delas”, enfatizou o presidente da CBIC.

O presidente da Arcellor Mittal destacou, na sua apresentação no painel do ENIC, que o Brasil é o país com as melhores oportunidades, no mundo inteiro, para o crescimento da construção civil. Listou três motivos principais: a deficiência e as carências da infraestrutura; o grande déficit habitacional, que gera uma demanda de 1 milhão de unidades residenciais por ano, e a baixa produtividade do setor, que abre um vasto campo para que seja ampliada.

Rubens Menin se disse preocupado com o risco da alta dos índices inflacionários fazer subir os juros, os quais, segundo ele, são o segundo “demônio” dominado no Brasil, depois da inflação. Na sua visão, foi a queda dos juros que possibilitou o bom desempenho da construção civil em plena pandemia da Covid-19. “O juro baixo é bom para todo mundo e mantê-lo assim é uma agenda fundamental”, salientou.

O diretor técnico do Sebrae nacional acrescentou que a taxa de juro baixa no Brasil pode estimular os grandes fundos internacionais de investimentos a direcionar seus recursos no país para obras de infraestrutura, já que não se tornam tão mais atrativas as aplicações em títulos da dívida pública, pela queda nas taxas de juros.

O 92º ENIC, o mais importante fórum de debates dos temas estratégicos da construção, conta com a correalização da Asbraco-DF, Sinduscon-DF e Ademi-DF, apoio do Sesi Nacional e do Senai Nacional, patrocínio platinum da Arcelormittal Brasil e silver do Sebrae.

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

28Jan17:0019:00Quintas da CBIC: Nova Lei de Licitações e Contratos Administrativos17:00 - 19:00 Virtual

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon-Teresina
Sinduscon-PE
Sicepot-RS
Sinduscon-DF
Sinduscon-MT
Ascomig
ADIT Brasil
Sinduscon-AM
Sinduscon-MA
Sinduscon-GO
SECONCI BRASIL
Sinduscon-Vale do Itapocu
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X