Logo da CBIC

CBIC`s Agency

20/03/2015

Dois pesos e duas medidas

"Cbic"
20/03/2015

O Estado de S. Paulo – 20 de março 

Dois pesos e duas medidas 

O Estado de S. Paulo – 20 de março 

Depois de tudo que o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) vem aprontando há tanto tempo, ninguém mais pode alegar surpresa com os abusos de todo tipo a que ele se entrega e que cada vez mais têm menos a ver com o problema da moradia, que em princípio pelo menos está em sua origem. Mesmo assim, a sua capacidade de mistificação, de inverter posições para confundir os incautos, como acaba de fazer nas manifestações que promoveu quarta-feira passada em vários pontos do País, para ao mesmo tempo defender e criticar o governo, não deixa de ser espantosa. Com a violência de sempre, é claro. E com a complacência das autoridades.

O MTST bloqueou vias e perturbou a circulação em 23 pontos importantes em 7 Estados para expor suas reivindicações e fazer seus protestos – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Bahia, Ceará e Paraíba. Segundo o MTST, esses vários atos contaram com 20 mil militantes e simpatizantes. O exagero pouco importa, porque mesmo com uma tropa bem menor, como parece ter sido o caso, mas bem treinada e aguerrida, ele é capaz de fazer grande estardalhaço e muito estrago.

Na capital paulista, palco principal de sua agitação, o MTST caprichou. Grupos de manifestantes, se assim podem ser chamados os baderneiros, bloquearam 12 vias importantes, entre as quais as Marginais do Tietê e do Pinheiros, e as Avenidas Radial Leste, Aricanduva, Giovanni Gronchi e Senador Teotônio Vilela, escolhidas a dedo para tumultuar o trânsito na cidade. As cenas impressionantes dos bloqueios feitos com pneus em chamas, transmitidas pela televisão, mostram que a pretensão do MTST de ter feito um protesto ordeiro e pacífico está em claro contraste com a realidade.

E também com o tom como sempre agressivo e ameaçador do coordenador do movimento, Guilherme Boulos. "Não vamos assistir calados ao aumento da intolerância, do preconceito, do ódio social, à defesa de intervenção militar e de golpismo", afirmou ele, referindo-se às grandes manifestações de domingo, às quais o MTST quis se contrapor. E esquecendo-se, de propósito, de que nelas os extremistas eram pequenos grupos isolados, ao contrário das de quarta-feira.

Boulos e sua tropa põema realidade de pernas para o ar, atribuindo aos que elegem como inimigos os seus próprios defeitos e intenções. Atropelam a lei com seus bloqueios de pneus em chamas, que impedem milhares de pessoas, a grande maioria trabalhadores, de exercer o elementar direito de ir e vir, defendem e promovem a luta de classes e, depois, apontam o dedo acusador para quem não concorda com essas práticas ilegais e violentas.

Para disfarçar o caráter chapa branca da manifestação, criticaram o ajuste fiscal e uma parte do governo – incendiando bonecos dos ministros Joaquim Levy, da Fazenda, Gilberto Kassab, das Cidades, e Kátia Abreu, da Agricultura – e apresentaram reivindicações como o lançamento da terceira fase do programa Minha Casa, Minha Vida, para a construção de 3 milhões de moradias.

O MTST sabe que pode fazer tudo isso – mais do que sem risco, com grande chance de que tudo dê certo -, porque tem um firme aliado no governo. Tanto a presidente Dilma Rousseff como os ministros que têm falado em seu nome, no caso das últimas manifestações, não se cansam de insistir, quando se trata dos que criticam o governo, que tudo tem de ser feito dentro da lei e da ordem, pacificamente, como estabelece a regra democrática.

Mas tudo muda quando vão para a rua os ditos movimentos sociais, como o MST e o MTST. A esses não se aplica a regra democrática. Na quarta-feira, quando as ruas de grandes cidades pegavam fogo, o gabinete do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, se limitou a informar que ele mantém agenda de diálogo permanente com aqueles movimentos.

Para completar, o MST e o MTST também contam com a reação tímida de governadores, mesmo da oposição, que com medo de não parecerem politicamente corretos os tratam com brandura.



"Cbic"

 

COMPARTILHE!

Construction Agenda

october/2020

Filter Events

mon

tue

wed

thu

fri

sat

sun

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

20octallday22allday1° Evento de Construções Sustentáveis da 9ª Fiema Brasil - Feira de Negócios, Tecnologia e Conhecimento em Meio Ambiente(All Day) Bento Gonçalves - RS

22oct17:0018:30Quintas da CBIC: LGPD e o Mercado Imobiliário17:00 - 18:30 Via Zoom

Partners and Affiliations

Partners

 
Sinduscon-PE
ASBRACO
Ademi – SE
AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
Sinduscon-SE
Sinduscon-TO
Sinduscon PR – Noroete
Sinduson – GV
SECONCI BRASIL
Ademi – RJ
Sinduscon-RO
Sinduscon-Costa de Esmeralda
 

Click Here and check our partners

Affiliations

 
CICA
CNI
FIIC
 
Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme vaporesso diziizlepaylas betpark giriş betgaranti kolaybet oleybet diyarbakır escort escort istanbul escort izmir
X