Logo da CBIC

Agência CBIC

08/12/2010

Contra Mantega, Lula banca o PAC

CBIC Clipping

08/12/2010 :: Edição 023

Jornal Correio Braziliense|   08/12/2010

Contra Mantega, Lula banca o PAC

Um dia após o ministro da Fazenda afirmar que programa de investimentos terá recursos cortados, o presidente intervém e garante que verbas serão preservadas no governo Dilma

 » LUCIANO PIRES

 Demorou menos de 24 horas para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagisse à intenção do próximo governo de cortar gastos públicos sacrificando, inclusive, obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) a partir de 2011. De passagem pelo Rio de Janeiro, ontem, Lula defendeu o controle da inflação e a estabilidade econômica, mas advertiu que, para obter sucesso, o ajuste fiscal pretendido por Dilma Rousseff não precisa atacar o investimento, e sim o custeio.

 A insatisfação de Lula foi tanta que o presidente queimou etapas, interveio imediatamente e desautorizou o ministro da Fazenda. O Guido (Mantega) teve que falar com dois presidentes ao mesmo tempo. Eu liguei para ele quando ele estava conversando com a Dilma , disse. Segundo ele, não há necessidade de cortar um único centavo do PAC.  Se tiver que mexer em alguma coisa, vai se mexer em custeio e não em obra para investimento.

 Estratégia

 Na segunda-feira, Mantega anunciou que o arrocho nas contas programado para ocorrer a partir de janeiro não iria poupar nem os projetos considerados prioritários. A estratégia do ministro é estimular a maior economia possível e criar as condições para que os juros básicos recuem. A elevação da taxa Selic, atualmente em 10,75% ao ano, é dada como certa pelo mercado. Os analistas, as consultorias e os bancos apostam no início da tendência de alta no próximo mês. O remédio faria frente ao repique de preços verificado em novembro e em dezembro, que afastou a inflação para bem longe do centro da
 meta de 4,5% definido pelo BC. Lula disse conhecer muito bem o ministro da Fazenda e Dilma, e justificou ter certeza absoluta de que nada do PAC será cortado.

 O presidente minimizou as declarações de Mantega, deu a entender que o ministro havia sido mal interpretado na véspera e afirmou que, eventualmente, podem ocorrer remanejamentos de recursos entre obras que estão em ritmo mais lento para outras que se encontram em estágio avançado. Você pode fazer o remanejamento dos recursos, como nós cansamos de fazer agora. Às vezes, uma obra aqui no estado do Rio de Janeiro que vai demorar um pouco mais, você passa o dinheiro para uma que está mais regularizada, e assim vai ganhando tempo , justificou.

 Ao se referir à futura presidente da República, Lula ainda brincou. Lembrando que foi justamente na Rocinha que sua sucessora ganhou o apelido de mãe do PAC , o presidente ressaltou o carinho de Dilma pelo programa.

 Para nós, o PAC é como o oxigênio que a gente respira, nós sabemos o quanto ele deu certo para o país e o quanto ele vai continuar dando. Graças ao PAC é que as obras não são paralisadas, graças ao PAC é que todos os ministros trabalharam muito mais. Então, eu estou muito tranquilo com relação a isso. Conheço bem o que pensa a companheira presidente do Brasil com relação à priorização das obras do PAC , explicou.

 Recorde na construção 

 O nível de crescimento alcançado pela construção em 2010 dificilmente será repetido nos próximos anos, segundo projeções apresentadas ontem pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e pela Fundação Getulio Vargas (FGV).
 
No topo dos desafios apontados como responsáveis pela desaceleração, figuram a escassez de terrenos adequados e de pessoal qualificado. Há um sentimento geral de que a mão de obra será um dos grandes problemas. Os empresários estão pessimistas em relação à evolução dos custos , assinalou a consultora da FGV Ana Maria Castelo. Os resultados superaram as expectativas do início do ano, mas manter taxas de dois dígitos requer um esforço consideravelmente maior.  De janeiro a novembro, o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) acumula expansão de 6,95%.

 O componente mão de obra foi o que mais pressionou, com alta de 8,73%. Apesar de já contarem com um cenário menos aquecido em 2011, os empresários da construção civil se mostram otimistas com o desempenho, conforme a sondagem da FGV. Eles estimam que o crédito seguirá em expansão e os lançamentos de imóveis serão voltados para os segmentos de média e baixa renda, principais alvos do programa habitacional do governo Minha Casa, Minha Vida.

 O bom momento é proporcionado pelo aumento do crédito e pela disponibilidade de recursos para o programa. O volume de financiamentos somava R$ 64,5 bilhões até outubro, se considerados os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), com possibilidade de fechar o ano na casa dos R$ 70 bilhões.

 

"banner"  
"banner"  
"banner"  
"banner"  

 
 
"Cbic"

 

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon-SP
Ascomig
Sinduscon-AL
Sinduscon-PR
Sinduscon – CO
Sinduscon-AC
Abrainc
SINDUSCON SUL CATARINENSE
Sinduscon – Vale
Sinduscon-MA
Ademi – MA
Ademi – SE
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X