Logo da CBIC

Agência CBIC

29/07/2022

CBIC Economia apresenta desempenho da construção e perspectivas para o 2º semestre

O desempenho da Construção Civil nos primeiros seis meses de 2022 e as perspectivas para o segundo semestre  foram temas de destaques na live “CBIC Economia”, nesta sexta-feira (29), promovida pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com a economista da entidade, Ieda Vasconcelos. 

O estudo divulgado pela CBIC sobre esse assunto foi um dos pontos abordados pela economista. Ieda iniciou destacando os resultados do PIB do  primeiro trimestre do ano, quando a Construção cresceu 0,8% em relação aos últimos três meses de 2021, na série com ajuste sazonal, o que significou uma sequência de sete trimestres consecutivos de crescimento. 

Os resultados positivos permaneceram no período de abril a junho, com destaque no mercado de trabalho. Dados da Sondagem da Construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o apoio da CBIC, demonstram que o setor encerrou o período de janeiro a junho/22 com crescimento no seu nível de atividade. O estudo é muito importante, segundo Ieda, porque traz a percepção dos empresários do setor, e aborda indicadores como nível de atividades, confiabilidade e perspectivas de novos investimentos. 

“A Sondagem demonstrou incremento na atividade de todos os segmentos do setor. Na construção de edifícios o patamar médio do primeiro semestre de 2022 foi o melhor desde 2010. As obras de infraestrutura e os serviços especializados para  construção registraram o melhor desempenho desde 2012.  Este estudo é relevante pois também capta as expectativas dos empresários para os próximos meses tanto em relação a novos empreendimentos e serviços, como também na compra de insumos e na geração de novos empregos. E os resultados demonstram que os empresários mantém as expectativas positivas para esses itens”, destacou a economista. 

Com esse desempenho, é possível perceber o reflexo positivo no mercado de trabalho do setor. De acordo com dados divulgados na última quinta-feira (28), pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), no primeiro trimestre/2022, o setor gerou mais de 184 mil novas vagas de emprego com carteira assinada, sendo o melhor resultado dos últimos 10 anos. Apenas em junho/2022, foram mais de 30 mil novos postos de trabalho. 

“A economista também destacou que o aumento no preço dos insumos continuou, pelo oitavo trimestre consecutivo, sendo o principal problema enfrentado pela Construção. Nos primeiros seis meses de 2022,  destacaram-se aumentos nos preços do cimento, massa de concreto, pedra britada, argamassa, entre outros. Segundo Ieda, o custo da construção continua em patamar elevado e muito forte, preocupando os empresários para construção para o segundo semestre.

Assista a live completa e saiba mais sobre os dados levantados pela economista.

A live tem interface com o projeto “Banco de Dados da Construção – BDC”, em correalização do Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional) e com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

COMPARTILHE!

Outubro/2022

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
AELO
Sinduscom-NH
Sinduscon-Porto Velho
Sinduscon – Norte
Ademi – MA
SECOVI-PR
ADEMI-AM
Sinduscon – Lagos
Sinduscon-Brusque
Sinduscon-RIO
Sinduscon Chapecó
Sinduscon-PB
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
X