Logo da CBIC

Agência CBIC

07/04/2011

Bons números para este ano

 

07/04/2011 :: Edição 073

Jornal Estado de Minas/BR   |   07/04/2011

bons números para este ano

Projeções realizadas pelo Banco
Central indicam crescimento de 6,6% na construção civil este ano e uma
valorização dos preços dos imóveis
Humberto Siqueira

O setor da construção civil gera
muitos postos de trabalho e reflete-se na atividade de vários outros segmentos,
alcançando papel de destaque na economia. Este ano, esse protagonismo deve se
manter, uma vez que projeções realizadas pelo Banco Central indicam crescimento
de 6,6% na construção, maior até que a evolução do país, que tem expectativa de
crescer 4,5%.

Dados da Fundação João Pinheiro
(FJP) indicam alta de 8,8% no PIB do setor em Minas Gerais, no acumulado dos
três primeiros trimestres de 2010. Em consequência, o número de vagas formais
geradas foi positivo. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE),
na Região Metropolitana de Belo Horizonte foram criadas, no ano passado, 9.424
vagas de trabalho no setor. Em Minas, foram contabilizadas 36.563 vagas com
carteira assinada na construção e no Brasil, 329.195.

Para José Francisco Couto de Araújo
Cançado, vice-presidente da área imobiliária do Sindicato da Indústria da
Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), as perspectivas
positivas para o dinamismo das atividades da construção passam pela
continuidade do crescimento do crédito imobiliário. "Os juros do
financiamento imobiliário são os mais baixos do mercado. E para aquisição de um
bem de raiz", defende. As taxas de desemprego em menores patamares e o
crescimento da renda da população impulsionam a demanda por crédito imobiliário.

De acordo com os dados da Associação
Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), em 2010, o
financiamento imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e
Empréstimo (SBPE) alcançou recorde, com 421.386 unidades financiadas, o que
significou alta de 39,22% em relação ao ano anterior. Em valores, correspondeu
a mais de R$ 56 bilhões. Em 2009, os financiamentos imobiliários com recursos
do SBPE totalizaram cerca de R$ 34 bilhões, correspondentes a 3,92% do PIB, de
acordo com informações divulgadas pelo Banco Central.

Questionado sobre até que ponto esse
aumento do crédito imobiliário atende o interesse do consumidor, já que essa
abundância elevou a demanda pela casa própria e gerou valorização de até 150%
nos imóveis em BH, entre 2004 e 2010, José Francisco faz algumas considerações.
"Se você comparar o percentual do crédito imobiliário frente ao PIB verá
que o Brasil ainda tem números inferiores. Canadá, Espanha e Alemanha lideram o
ranking, com 63%, 62% e 40%, respectivamente. E temos um déficit habitacional
de quase 6 milhões de moradias. O mercado precisava de um equilíbrio. Ficou
parado muito tempo e só agora está realinhando seus valores. Mas, realmente,
quando há um aumento na demanda, o preço reage. É como o ditado, quem nunca
comeu melado, quando come se lambuza", pondera. Fato é que, pela pesquisa
Construção e comercialização, realizada mensalmente pelo Instituto de Pesquisas
Econômicas, Administrativas e Contábeis (Ipead/UFMG), não existem mais imóveis
de até R$ 100 mil na capital.


"banner"  
"banner"  
"banner"  
"banner"  

"Cbic"

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon – Foz do Rio Itajaí
Sinduscon – Vale do Piranga
Abrainc
ADEMI – BA
Sinduscom-VT
Sinduscon-MT
Sinduscon-AC
Sinduson – GV
Ademi – PR
Ademi – MA
Sinduscon-JF
Sicepot-RS
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X