Logo da CBIC

Agência CBIC

25/11/2010

Arquitetura ajuda a cortar custos e poupa o ambiente

CBIC Clipping

25/11/2010 :: Edição 015

Jornal Valor Econômico/BR|  25/11/2010

Arquitetura ajuda a cortar custos e poupa o ambiente

Marleine Cohen

 Há maior uso da iluminação natural e do paisagismo

 Vai longe o tempo em que a visita a um shopping center significava entrar numa "caixa preta", hermeticamente fechada, sem luz natural ou contato com o exterior. Segundo Heloisa Bonfim, business developer da área de shoppings da Dalkia Brasil, subsidiária da Veolia Environnement e da Electricité de France (EDF), que presta serviços energéticos no mercado europeu, "a intenção, nesses empreendimentos, era que o cliente perdesse a noção do tempo e possivelmente comprasse mais." Hoje, segundo ela, o consumidor não aceita mais estar num ambiente sem saber se faz sol ou chuva lá fora. Além disso, do outro lado do balcão, há imperativos como otimização da obra e eficiência energética do prédio, ou seja, tempo de construção e conta de água e luz. Em outras palavras, sustentabilidade.

 "A conceituação dos shoppings mudou", diz o arquiteto Alberto Botti, da Botti Rubin, escritório responsável pelo shopping Aricanduva, entre outros. "Eles passaram de caixas herméticas a locais mais abertos, com áreas verdes e espaços naturalmente iluminados." Para atender a este novo conceito, a moderna arquitetura de shoppings supõe pé direito alto, corredores amplos, paisagismo, clarabóias e iluminação natural (skylights), além de sistemas automatizados e materiais de construção de última geração.

 Em São Paulo, o shopping Granja Viana, recém entregue pelo grupo BRMalls, reúne algumas dessa tendências: skylights totalizando cerca de 1 mil metros quadrados incorporados a um projeto de fácil circulação, extensa área verdecom árvores centenárias e estação de tratamento de água e esgoto própria, com reaproveitamento em sanitários e ar condicionado.

 "O momento de pensar na sustentabilidade da obra é na hora em que ela é projetada", diz Marco Antônio Saidel, professor da Escola Politécnica da USP. Da criação de poços de infiltração em estacionamentos horizontais, para escoamento da água, à cor do piso, tudo deve atender à otimização. E a escolha de equipamentos inteligentes e sistemas de automação predial, visando eficiência e redução do consumo de recursos naturais como água e energia, não podem mais ser preteridos.

 Ainda na planta, arquitetos e engenheiros podem lançar mão das estruturas de concreto prémontadas, que conferem velocidade à construção e têm baixo impacto ambiental, porque dispensam o uso de betoneiras e não geram resíduos, diz Luiz Henrique Ferreira, diretor da Inovatech Engenharia e um dos idealizadores do conceito Casa Aqua de sustentabilidade.

 Estruturas de metal pré-montadas são outra alternativa, segundo ele, porque permitem montar e desmontar o prédio, sem necessidade de implosão ou de demolição.

 Painéis de vidro e outros materiais para cobertura e revestimento, que têm como característica produzir energia, também podem ser considerados nesta fase do projeto, afirma Antônio Paulo Cordeiro, da CDCA Arquitetos.

 Outro aspecto a se levar em conta, ressalta Marco Antônio Saidel, é a biodinâmica do prédio – sua posição em relação ao sol e à ventilação natural -, que substitui a prática de copiar os grandes arranhacéus envidraçados americanos, que tinham algum apelo comercial mas nenhuma sustentabilidade em países de clima tropical.

 Apesar do nome, o New York City Center, no Rio de Janeiro, é, neste sentido, o anti-shopping americano: considerado modelo de uso inteligente de energia, apoia seu projeto arquitetônico numa ampla área aberta, com pé-direito de 35 metros, e cobertura de lona branca de 5.400 metros quadrados, que favorece a luz e a ventilação naturais, dispensando o uso de ar condicionado.

 A cobertura de lona impede a entrada de calor e reflete a claridade, iluminando o ambiente – o que faz com que a conta de luz fique, segundo a Multiplan Empreendimentos Imobiliários, cerca de 20% mais barata.

 Consideradas uma das maiores preocupações dos construtores e lojistas, as soluções de eficiência energética fazem a grande diferença num shopping. "Se considerarmos que ele fica aberto ao público sete dias por semana, 12 horas por dia, com luzes acesas, vitrines iluminadas, escadas rolantes e ar condicionado funcionando, veremos queumshopping éumgrande sugador de energia elétrica", diz Luiz Henrique Ferreira.

 Pisos e telhados brancos, em substituição aos antigos de granito cinza e preto, são uma exigência, diz Heloisa Bonfim.

 "Quanto mais alto o nível de brilho do piso, mais ele vai refletir a luz solar e melhorar a sensação de iluminação, se comparado com um material fosco e opaco", sustenta. "O telhado branco, por sua vez, interfere no índice calorífico interno, provocando redução de até 4° C no ambiente, o que melhora o desempenho do ar condicionado e reduz o consumo de energia. "Vidros de alto desempenho energético (low emissivity glass), que permitem a entrada de luz mas refletem o calor, exigem menos do sistema de refrigeração; lâmpadas inteligentes e sistemas de ar condicionado por centrífuga são outras opções para um projeto de sustentabilidade energética.

 Em São Paulo, no Shopping Vila Olímpia, além das clarabóias, a Multiplan não dispensou o uso de vidros low-e. No Morumbi Shopping, pretende fazê-lo em 2011. "Este tipo de vidro reflete 60% do calor gerado por irradiação e proporciona uma economia de cerca de 5% no uso do ar condicionado", calcula Henrique Wendriner, diretor de operações.
 Da mesma forma, o Shopping Anália Franco conta com um sistema que permite programar, eletronicamente, os sistemas de iluminação no início e no fim do expediente. "Um estudo realizado em 2008 no BarraShopping, do Rio, apontou que esta automação gera economia de R$ 500 mil ao ano", diz

"banner"  
"banner"  
"banner"  
"banner"  

 
 

"Cbic"

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon-Teresina
Sinduscon-Brusque
Sinduscom-SL
Sinduscon-Costa de Esmeralda
Sinduscon-SF
Ademi – PR
ADEMI-AM
Sinduscon – Vale
Sinduscon – Grande Florianópolis
Sinduscon-BA
SECOVI-SP
Sinduscom-NH
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X