Logo da CBIC

Agência CBIC

11/11/2010

Lafarge faz aposta bilionária no mercado brasileiro de cimento

CBIC Clipping

11/11/2010 :: Edição 006

Jornal Valor Econômico/BR|  11/11/2010

Lafarge faz aposta bilionária no mercado brasileiro de cimento

Ivo Ribeiro

 Estratégia : Grupo francês aportou R$ 2,3 bilhões para entrar no Nordeste e Centro-Oeste

 A indústria cimenteira vive dias de bonança no Brasil, com taxas de consumo que crescem 15% anualmente e que tiram da lembrança os anos de vacas magras do começo desta década. Quem não correu para investir nos últimos dois anos corre o risco de perder uma boa parte da demanda aquecida prevista até 2016 no mercado brasileiro. Sem fazer alarde – e numa única tacada -, o grupo francês Lafarge reposicionou sua presença no país em fevereiro para tirar proveito da onda positiva vivida pelo setor. E fez isso sem desembolso extra do caixa. Apenas utilizou um único ativo: sua participação de 17,2% no capital da Cimpor, maior cimenteira portuguesa, a qual foi vendida ao grupo Votorantim.

 Enquanto três grupos brasileiros – Cia. Siderúrgica Nacional (CSN), Camargo Corrêa e Votorantim – se digladiavam para assumir o controle da companhia portuguesa, a Lafarge, uma acionista sem mais ambições por lá, decidiu sair da empresa sem nenhum pudor. Nossa participação deixou de ser estratégica depois que adquirimos a Orascom, do Egito, quase três anos atrás, disse ao Valor  o presidente da Lafarge no Brasil, Thierry Métro.

 A líder mundial mundial em materiais de construção – cimento, concreto e gesso – ofereceu US$ 12,1 bilhões pela Orascom Cement no fim de 2007, dentro de sua estratégia de ampliar a presença nos mercados emergentes. Com fábricas em países do Norte da África e no Oriente Médio, a companhia egípcia atua nas mesmas regiões da Cimpor.

 No comando da subsidiária brasileira desde abril de 2009, o executivo teve participação direta na operação de troca de sua participação na Cimpor por três fábricas da Votorantim. A Lafarge é a empresa que mais investiu no Brasil na indústria de cimento este ano, afirmou Métro, taxativamente. Segundo ele, foram cerca de EUR 750 milhões (o correspondente, na época, a R$ 2,3 bilhões). E uma nova onda virá no médio prazo, garante o executivo, que, antes do Brasil, exerceu atividades em operações do grupo francês no Canadá (seis anos) e Estados Unidos (cinco).

 O grupo enxergou uma grande oportunidade de crescer no Brasil, que se tornou o nosso foco na América Latina, e ampliar suas operações para outras regiões do país. A empresa estava toda concentrada na região Sudeste, explicou. No negócio com a Votorantim, a Lafarge herdou duas fábricas prontas, e já em operação, no Nordeste (na Paraíba e Bahia), e outra, modernizada, no Centro-Oeste (Cocalzinho, em Goiás). E ainda garantiu matéria-prima (escória, oriunda da produção de aço da CSA ThyssenKrupp, no Rio) para ampliar em 40% a tradicional fábrica de Cantagalo (RJ).

 Métro justifica, satisfeito, o investimento realizado no Brasil. Neste ano, o mercado de cimento do Nordeste deve crescer 20%. O consumo na região é o que mais sobe. No ano passado, durante a crise, teve aumento de 7%, puxado pelo boom imobiliário e por obras de infraestrutura, industriais e comerciais. Ele vê boas perspectivas de sustentação da demanda aquecida, com PIB do país se mantendo na faixa de 5% ao ano. Enxergamos um horizonte promissor para nossa indústria até 2016 ou 2017, disse.

 O executivo aponta necessidades de investimentos em infraestrutura e moradias, principalmente, e menciona eventos como o da Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016, além de grandes obras industriais, caso da refinaria de petróleo e polo petroquímico do Comperj, no Rio, dentre outros investimentos.

 Os planos da companhia – no Brasil desde 1959 – são ambiciosos. Nosso objetivo é ser a número 2 do setor no país antes de 2015, afirmou Métro. Isso significa roubar a posição do grupo pernambucano João Santos, atualmente dono de pouco mais de 11% das vendas no mercado doméstico. Com os ativos que compramos, e assumimos só em julho, já estaríamos na segunda posição, assegura ele. Mas a disputa não para por aí. A Camargo Corrêa Cimentos também almeja essa posição, com investimentos de R$ 3,6 bilhões previstos no período. Na liderança segue tranquila a Votorantim Cimentos, com mais de 40%. E desde 2007, já anunciou planos de expansão de mais de R$ 5 bilhões.

 Segundo o executivo francês, que teve boa parte de sua carreira construída no centro tecnológico da Lafarge em Lion, o grupo já estuda uma nova onda de investimentos depois de 2012 (médio prazo). Essa estratégia envolve várias alternativas – expansões dos ativos existentes hoje e dos que acabou de adquirir da Votorantim, novas fábricas, parcerias com outros investidores e até aquisições. Nos próximos dois anos, o objetivo é ampliar as operações existentes nos Estados do Rio e Minas Gerais, chegando a uma capacidade de 8 milhões de toneladas ao ano.

 Neste ano, a empresa prevê produzir e vender 4 milhões de toneladas nos ativos que tinha antes da aquisição – os novos foram recebidos em julho, juntamente com 440 empregados. Para 2011, a estimativa é fazer 7 milhões de toneladas. A companhia atua com três marcas: Campeão, que foi adotada nas novas unidades, Montes Claros e Mauá. Atualmente, 7% das suas vendas no mercado brasileiro são para a divisão de concreto do grupo no país.

 Criada em 1833 pela família Lafarge, a companhia está presente em quase 80 países e foi a primeira do setor a chegar à China. No país, maior produtor e consumidor mundial de cimento (1,5 bilhão de toneladas), já opera 19 fábricas. No ano passado, a companhia obteve receita total de EUR 15,9 bilhões. A produção de cimento foi de 160 milhões de toneladas. Mais de 50% das vendas do grupo já ocorrem nos países emergentes, informou Métro.

"banner"  
"banner"  
"banner"  
"banner"  

 
"Cbic"

 

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
SECOVI- PB
Ademi – ES
ADEMI-AM
Sinduscon-MA
Sinduscon-TAP
Sinduscon-Brusque
Sinduscon-RS
Sinduscon-Norte/PR
SINDUSCON – SUL
Sinduson – GV
Sinduscon-Teresina
Sinduscon-AP
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X