Logo da CBIC

Agência CBIC

16/12/2010

Estado lança pacote para zerar déficit habitacional

CBIC Clipping

16/12/2010 :: Edição 028

Jornal O Estado de S. Paulo/BR|   16/12/2010

Estado lança pacote para zerar déficit habitacional

Renée Pereira

 Governo estima ser necessária a construção de 1,1 milhão de unidades populares para acabar com a defasagem

 O governo de São Paulo lança hoje na capital as bases do chamado "BNDES da Habitação", que promete reduzir o déficit habitacional do Estado, calculado em 1,1 milhão de unidades. Um dos principais instrumentos é a implementação do Fundo Garantidor Habitacional (FGH), cujo objetivo será atrair a iniciativa privada na construção e financiamento de imóveis populares.

 O conselho gestor do fundo será instalado hoje e contará com oito representantes públicos e privados, como os sindicatos Sinduscon-SP (da construção) e Secovi (do mercado imobiliário), diz o secretário de Estado de Habitação, Lair Krähenbühl, diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). Além de apresentar a estrutura do fundo garantidor, ele entregará aos membros do conselho a minuta de regulamentação do FGH.

 Segundo o secretário, o fundo dará garantias de crédito e servirá como avalista dos mutuários nos empréstimos imobiliários. Na avaliação de Krähenbühl, ao garantir os empréstimos, o Estado estimulará a participação das empreiteiras na produção de residências e dos bancos, nos financiamentos. "Hoje esses dois agentes não entram no mercado por causa da inadimplência. O fundo elimina esse risco e ajuda a reduzir as taxas de juros nos financiamentos."

 O secretário destaca que, para cada R$ 1 do fundo, será possível alavancar os recursos em R$ 4. O FGH será formado com dinheiro do orçamento do Estado e poderá conter recursos de outros fundos, como FGTS e poupança. Isso só foi possível com a Lei 12.801, de janeiro de 2008. Além do FGH, o programa conta com o Fundo Paulista de Habitação de Interesse Social, que vai organizar a distribuição dos subsídios à população de baixa renda.

 O vice-presidente de habitação popular do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), José Carlos Molina, que será um dos suplentes do Conselho Gestor do Fundo Garantidor Habitacional, diz que o instrumento será uma alavanca de investimento no Estado, já que vai garantir possíveis perdas decorrentes da inadimplência.

 Segundo ele, países, como EUA e México, usam mecanismos semelhantes. No Brasil, São Paulo será o primeiro Estado a adotar o instrumento. Segundo estudo do Sinduscon, elaborado pela FGV, o déficit habitacional é de 23 milhões de unidades no País. Para resolver o problema, seria necessário investir R$ 3 trilhões até 2022.

"banner"  
"banner"  
"banner"  
"banner"  

 

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon PR – Noroete
APEMEC
Sinduscon-BNU
AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro
Sinduscon-MT
Sindicopes
Sinduscon-SF
Sinduscon-Costa de Esmeralda
Sinduscon-JP
Sinduscon-MS
Ademi – SE
Sinduscon-AL
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme retrobet epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X