Logo da CBIC

Agência CBIC

01/12/2010

Construtoras buscam área maior para novo aeroporto de SP

CBIC Clipping

01/12/2010 :: Edição 018

Jornal Valor Econômico/BR|   /10/10/2010

Construtoras buscam área maior para novo aeroporto de SP

André Borges

 Infraestrutura: Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez têm plano B que envolve terras da Melhoramentos

 As construtoras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez negociam um plano B para levar adiante o projeto de construção de um aeroporto no município de Caieiras, na região metropolitana de São Paulo. As empreiteiras, conforme apurou o Valor , têm mantido conversações com a Companhia Melhoramentos de São Paulo, dona de boa parte da área territorial de Caieiras. O objetivo é adquirir um terreno da Melhoramentos fora da região central da cidade, onde a obra poderia ser realizada sem grandes dificuldades relacionadas a licenciamento ambiental e desapropriação de imóveis.

 Segundo uma fonte próxima às negociações, neste momento as discussões buscam ajustar um preço para a possível aquisição da área. No alvo está parte de uma área da Melhoramentos que atinge cerca de 27 milhões de metros quadrados. O projeto é acompanhado com expectativa pela prefeitura de Caieiras. Fomos contrários ao primeiro projeto do aeroporto na cidade porque a ideia inicial era construí-lo no centro da cidade, diz o prefeito Roberto Hamamoto (DEM). Mas agora sabemos que as negociações em curso consideram uma área retirada do centro, o que seria um projeto excelente para o município, já que é bem mais fácil de ser executado.

 Procuradas pela reportagem, as duas construtoras não quiseram comentar o assunto. Por meio de nota, a Companhia Melhoramentos de São Paulo informou que, como principal proprietária de terras em Caieiras, reforça seu objetivo, já amplamente divulgado, de promover o desenvolvimento urbano sustentável de suas terras na região metropolitana de São Paulo. A empresa informou que, sobre construção de aeroporto, não existe qualquer venda de terras realizada com esta finalidade.

 A ideia de construir um terceiro aeroporto em São Paulo é antiga. Foi apresentada em 2007 por Nelson Jobim, quando ele assumiu o Ministério da Defesa. A cidade de Caieiras virou alvo do projeto depois que a Camargo Correa comprou, em dezembro do ano passado, uma área de 5,2 milhões de metros quadrados (área equivalente à metade da cidade de São Caetano) da Melhoramentos. A ideia da construtora era erguer um bairro para cerca de 80 mil moradores, mas a possibilidade de construir um aeroporto passou a ser considerada. Essa alternativa enfrentou forte resistência da prefeitura, que cobrou a construção do empreendimento imobiliário.

 Caieiras reúne condições favoráveis ao projeto aeroportuário. Localizada a 30 km do centro de São Paulo – Cumbica fica a cerca de 20 km -, a região é abastecida por uma estação de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e por ligações com o rodoanel Mário Covas e as rodovias Anhanguera e Bandeirantes. Além disso, pesa na conta o fato de a Melhoramentos ser dona de quase 60% das terras da cidade, diz o prefeito Roberto Hamamoto. Essa facilidade de negociar uma grande área privada com um único dono não existe em qualquer outro município da região, comenta.

 O sucesso do projeto. contudo, depende ainda de regulamentações do setor de aviação e até mesmo do destino que será dado à Infraero. Há planos para abrir o capital da estatal, o que teoricamente lhe daria mais musculatura financeira e independência política. Hoje, a Infraero é responsável por administrar os principais aeroportos do país, mas a infraestrutura é patrimônio da União. Procurada, a Infraero não comentou o assunto.

 No governo, o estímulo a parcerias público-privadas e a concessões para construção de novos aeroportos é visto como atalho para resolver as limitações que estrangulam o setor. Como está hoje, a Infraero não tem capacidade de administrar a situação, diz Carlos Campos, coordenador de infraestrutura econômica do Ipea. A tendência é o setor caminhar para uma combinação de decisões, que passam pela abertura de capital da Infraero e entrada da iniciativa privada nas construções e ampliações dos aeroportos, acrescenta.

 Os projetos já existem, o que falta é sair do papel. É esperado para início do ano que vem o leilão para a construção do aeroporto internacional de São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN). O modelo inédito de concessão prevê a entrada do setor privado, apoiado por financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O mesmo modelo deverá ser usado para a ampliação de aeroportos como o Galeão, no Rio, Viracopos, em Campinas (SP) e Cumbica, em Guarulhos (SP).

"banner"  
"banner"  
"banner"  
"banner"  

 

"Cbic"

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscon-MA
Sicepot-RS
APEOP-PR
APEMEC
Sinduscon-MG
Sinduscon-Porto Velho
Sinduscon-RR
Sinduscon – Foz do Rio Itajaí
FENAPC
Sinduscon-AC
SECONCI BRASIL
Ademi – MA
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X