Logo da CBIC

Agência CBIC

07/03/2010

Avanço de 9% na construção

Expansão estimada para o setor repetirá saldo de 2008. Resultado do ano passado, no entanto, deverá ser ruim, conforme dados coletados pelo IBGE. Empresários contestam cálculos

Vânia Cristino

A indústria da construção civil deverá repetir o desempenho de 2008, encerrando o ano com uma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 9%. A expectativa é dos empresários do setor e contrasta com os resultados aguardados para 2009. De acordo com Paulo Safady Simão, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o PIB do ano passado, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará na próxima semana, não reflete a performance real das empresas. "Os números deverão vir ruins para o setor em 2009", alertou.

Pelas estimativas dos construtores, o crescimento no ano passado deveria ser positivo em pelo menos 2%. Mas, pela metodologia utilizada pelo IBGE, o resultado ficará negativo em 3% ou 4%. "Já falei para o ministro da Fazenda que o modelo que vem sendo utilizado pelo IBGE precisa ser revisto", observou Simão. Conforme o presidente da CBIC, o IBGE não incorpora nas contas o valor agregado pelas construtoras. O cálculo do PIB feito pelo instituto se baseia, exclusivamente, na coleta de materiais.

Como 2009 foi um ano de crise, a CBIC alega que as empresas fizeram uso do estoque que tinham, sem adquirir mais insumos no mercado. "Não se pode negar que o setor teve um desempenho excepcional no ano passado, gerando mais de 200 mil postos de trabalho", observou Simão. Para o presidente da CBIC, contribuiu muito para a sustentação do setor o programa Minha Casa, Minha Vida, além do salto dado pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) no financiamento de casa própria para os mutuários da classe média. Foram R$ 34 bilhões de recursos da poupança direcionados ao financiamento de 305 mil novas unidades habitacionais. "Cerca de 40% do crédito em 2009 foi construção civil. Outros 17% foram para outros tipos de financiamento às pessoas físicas", disse Simão.

O presidente da CBIC não concorda com as críticas que são feitas ao programa Minha Casa, Minha Vida. Ele garantiu que as unidades previstas – no total, um milhão – serão contratadas este ano. Desse total, pelo menos 330 mil serão entregues. Simão disse que o governo lançará, em 29 de março, o Minha Casa, Minha Vida 2. "Já encaminhamos para o governo nossa proposta", assegurou. Simão lembra que é preciso consolidar o programa.

A primeira fase teve como objetivo estancar o crescimento do deficit habitacional do país. "Agora precisamos tratar de erradicar o deficit, que é de 6,2 milhões de moradia", defendeu. Para Simão esse objetivo só será cumprido se o governo conseguir atacar a questão fundiária, reservando um percentual mínimo de 10% dos lotes para a habitação de interesse social e também passar a admitir a construção de grandes conjuntos habitacionais. "Precisamos de volume", ponderou.

(Matéria publicada no jornal Correio Braziliense – 06/03/2010)

COMPARTILHE!

Agenda de Eventos e Transmissões

Janeiro/2021

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

Nenhum evento

Parceiros e Afiliações

Parceiros

 
Sinduscom-VT
Sinduscon-SE
Ademi – AL
Sinduscon-Extremo Oeste
Sinduscon – CO
ASBRACO
Sinduscom-SL
Sinduscon-Joinville
Sinduscon-JP
Sinduscon-SP
Sinduscon – Vale
SECOVI- PB
 

Clique aqui e veja todos os parceiros

Afiliações

 
CICA
CNI
FIIC
 
Tekne Kiralama karın germe Estetik Ankara özel kurtaj meme büyültme epoksi vaporesso betpark giriş betgaranti kolaybet En iyi casino siteleri diyarbakır escort escort istanbul escort izmir izmir escort
X