Logo da CBIC

Agencia CBIC

24/01/2020

Construção civil perde 46 mil vagas de trabalho formais em dezembro

O Brasil fechou dezembro de 2019 com um saldo negativo de 307.311 vagas com carteira assinada, no comparativo entre trabalhadores admitidos e desligados. A construção civil contribuiu fortemente para esse resultado mensal, com 46.886 vagas a menos, pois registrou 71.390 admissões e 118.276 desligamentos no último mês do ano passado.

Divulgados nesta sexta-feira (24), pelo Ministério da Economia, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de dezembro foram analisados pela economista da CBIC, Ieda Vasconcelos. “Apesar de o resultado seguir a tendência do mês, de fechamento de vagas, em função da sazonalidade, a queda foi superior ao previsto”, informa.

A título de comparação, Ieda lembra que o resultado de dezembro de 2019 chegou próximo ao de dezembro de 2018. “Naquele mês, quando o setor ainda registrava queda na sua produção, foram perdidas 51.576 vagas”, lembra.

Com esse resultado negativo – maior que o esperado – a construção civil encerrou 2019 com a geração de 71.115 vagas com carteira de trabalho assinada, mas poderiam ser muito mais.

“O setor poderia ter crescido mais e gerado mais empregos, mas enfrenta dificuldades especialmente no segmento de habitação de interesse social, com uma falta de política de governo para a área, além da falta de pagamentos de obras realizadas no âmbito do programa Minha Casa, Minha Vida, por exemplo. Dessa forma, o crescimento do setor não se sustenta”, reforça Ieda Vasconcelos.

Participação forte na composição dos resultados

Mesmo com esses problemas, o Brasil fechou 2019 com 644.079 novas vagas de emprego formal, maior saldo de emprego com carteira assinada em números absolutos desde 2013. Em comparação com o ano anterior, houve aumento de quase 115 mil postos em 2019.

A construção civil contribuiu de forma importante para composição desse resultado, com 11,04% do total. O setor contabilizou no ano passado 71.115 novas vagas, número 314,81% maior que em 2018, quando foram gerados 17.144 novos postos de trabalho.

O número de trabalhadores no setor, que em dezembro de 2018 era de 1,976 milhão passou para 2,047 milhões em dezembro de 2019, uma alta de 3,60%. “O Brasil possui 39,054 milhões de trabalhadores com carteira assinada, sendo que a construção civil é responsável por 5,24% desse número, e ainda assim o setor foi responsável por 11,04% das novas vagas geradas, destaca.

Para o presidente da CBIC, José Carlos Martins, o setor da construção civil deve voltar a registrar crescimento mais expressivo em 2020 e representar um impulso relevante para a economia brasileira neste ano. A projeção é de que a atividade do setor ganhe força e registre crescimento de 3% neste novo ano. “A recuperação do setor deve representar uma ‘locomotiva’ dentro do PIB [Produto Interno Bruto] do país, mas isso não pode se perder pela falta de políticas claras para habitação de interesse social”, afirma.

COMPARTILHE!

Agenda de la construcción

febrero, 2020

Filtrar eventos

lun

mar

mie

jue

vie

sab

dom

-

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

No hay eventos

Eventos

Socios y Entidades Confederadas

Socios

 
Sinduscom-VT
Sinduscon-RO
APEMEC
Sinduscon-TO
Sinduson – GV
Sinduscon-Vale do Itapocu
Sinduscon-PR
Sinduscon-JP
Sinduscon – CO
Ademi – SE
Ademi – DF
Sinduscon-TAP
 

Marque aquí y consulte a nuestros socios

Entidades Confederadas

 
CICA
CNI
FIIC
 
X