Workshop Implementação do BIM em João Pessoa

Bastante participativo, evento que atraiu arquitetos, engenheiros e construtores

“A metodologia do BIM é um caminho sem volta para a construção civil. A apresentação da CBIC no Sinduscon teve um bom público, de cerca de 70 pessoas, e os expositores trouxeram informações bem esclarecedoras sobre esse processo”. Essa é a opinião do presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil em João Pessoa (Sinduscon-JP), João Barbosa, sobre o workshop ‘Implementação do BIM’, em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e o SENAI Nacional, realizado nesta segunda-feira, dia 06. Na oportunidade, ele destacou que a entidade tem procurado fortalecer tecnicamente as empresas associadas, para que o desempenho seja melhor quando da retomada dos negócios.

Ainda durante a abertura, Raquel Ribeiro, gestora dos projetos de Tecnologia e Inovação, explicitou o objetivo do workshop que vem sendo promovido pela CBIC em vários estados, como forma de contribuir para a disseminação do uso do BIM.

Para o arquiteto Rogério Suzuki, o BIM é mais do que uma tecnologia, é um processo que envolve a gestão da empresa e capacitação da equipe e tem potencial

para aumento de produtividade, qualidade do projeto e da construção. Segundo ele, há mais de 200 programas, sendo portanto importante conhecer as características de cada produto. Ele explicou que o mercado é composto por vários fornecedores de softwares, que oferecem várias ferramentas, sendo que a escolha dependerá do uso e dos objetivos estratégicos de cada empresa. O especialista observou que as mudanças atuais estão velozes e as empresas precisam se adaptar à essa realidade. Ao falar do cenário atual da indústria da construção apresentou dados evidenciados na pesquisa de mercado que tem sido realizada no road show da CBIC, apenas 34% dos projetos não tem atrasos na entrega da obra e 32% são finalizados dentro dos custos previstos inicialmente, em média, e entende-se que o uso dos processos BIM tem grande potencial para reduzir as duas problemáticas. Além disso, Rogério Suzuki apresentou como foi elaborada a coletânea CBIC de Implementação do BIM para Construtoras e Incorporadoras e explanou sobre seu conteúdo.

Em João Pessoa, a Graphisoft foi representada pelo arquiteto João Tratai. Na apresentação, ele destacou a evolução das tecnologias no uso dos processos BIM, e exemplificou a quebra de alguns paradigmas no tema, como dificuldades de uso do software e necessidade de altos investimentos tanto para a compra de software quanto pela capacidade das máquinas, fatos que já estão caminhando para serem superados, pois os softwares estão bastante intuitivos, podem ser alugados e que consomem menos memória, apresentando exemplos.

O representante da Autodesk, o engenheiro Túlio Paz, apresentou as características do BIM na visão da empresa e explicou que o programa de implementação pode ser estruturado de forma a atender às necessidades da empresa. Ele enfatizou ainda a precisão dos projetos com os recursos que os softwares BIM oferecem.

Na sequência, o diretor da empresa Quattro D, Rodrigo Girardi, explicou que a empresa desenvolve modelos de informação para a construção de acordo com a demanda da construtora contratante, observando que no contrato todas as funções devem estar bem explicitadas. Ao final, a gerente de projetos e do departamento BIM da Sinco Engenharia, Priscila de Castro, apresentou experiências da empresa com o uso dos processos BIM.
Compartilhe!
X