Logo da CBIC
23/07/2021

Especialistas defendem mudança da cultura de segurança no trabalho em altura

Atualizar os cerca de 1,7 mil empresários e profissionais do setor da construção ligados à área de segurança e saúde, alcançados na segunda parte do Seminário Técnico Nacional da Nova NR-18 sobre trabalho em altura e máquinas e equipamentos relacionados à nova NR 18, foi o principal objetivo de especialistas sobre o tema. O evento foi realizado virtualmente na quinta-feira (22/7) pelo Seconci-Brasil e Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP).

No painel Trabalho em Altura e Sistema de Proteção Individual de Queda (SPIQ), terceiro do dia e moderado pela gerente de Segurança do Serviço Social da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Seconci-MG), Andreia Kaucher Darmstadter, os especialistas apontaram a necessidade de mudança na cultura de segurança no trabalho em altura no país.

O diretor técnico da AMZ Equipamentos para Trabalho em Altura, Marcos Amazonas, ressaltou a importância do uso do SPIQ – constituído de um sistema de ancoragem, elemento de ligação e Equipamento de Proteção Individual (EPI), em consonância com a NR-35 (Trabalho em altura) – pelo trabalhador da construção nas obras.

Salientou também a relevância de os empresários da construção investirem em consultoria/amparo que garanta robustez ao Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) e ao Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO) para evitar riscos de acidentes aos trabalhadores no desenvolvimento de suas atividades.

Amazonas frisou ainda a importância da observância à NBR 16.489, norma complementar à NR-35, quanto às recomendações referentes à seleção e uso de SPIQ e seus componentes. Além disso, reforçou que o resgate deve estar previsto no SPIQ e no PGR da atividade em altura. Para ele, o SPIQ tem que estar sob a responsabilidade de um Profissional Legalmente Habilitado (PLH).

Já o vice-presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado de São Paulo (Feticom-SP) e membro da Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), Robinson Leme, mencionou que a implantação dos Sistemas de Proteção Coletiva Contra Quedas (SPCQs) poderá ser definida pelo tipo de obra.

No entanto, ressaltou que os riscos de quedas devem ser identificados já na fase de projeto, com detalhamento do SPCQ, elaborado por PLH, no PGR.

Para quem for iniciar obras a partir de 2022, Leme pediu atenção para as novas medidas de proteção coletiva e especificações do guarda-corpo.

Sobre a capacitação para o trabalho em altura, informou que o Anexo I da NR-18 traz todos os treinamentos que devem ser feitos na construção civil, já com definição de carga horária, periodicidade e conteúdo programático. Leme também abordou a questão da proficiência dos instrutores para trabalho em altura e a necessidade da comprovação de capacitação.

Máquinas e Equipamentos na Nova NR-18

No painel sobre Máquinas e Equipamentos na Nova NR-18, quarto e último do seminário, moderado pela gerente de Segurança do Seconci-DF, Juliana Oliveira, o engenheiro de Segurança do Trabalho do Sesi-SC, Lucas Bergmann, tratou dos principais aspectos da nova NR-18 referentes a máquinas e equipamentos, com foco em serra circular, máquinas autopropelidas, equipamentos de guindar/gruas e ferramentas que precisam ser levados em consideração e ter acompanhamento de PLH.

Dentre as mudanças, a de que as máquinas para uso dos trabalhadores do setor devem estar em local coberto e bem iluminado nos canteiros de obra.

Além disso, informou sobre a necessidade da observância da hierarquia entre as normas (NR setorial, NR específica e NR geral) para garantir a segurança dos trabalhadores na operacionalização dos equipamentos, assim como sobre a harmonização da NR-18 com as NRs 10 (Eletricidade) e 12 (Máquinas e Equipamentos).

O auditor fiscal do Trabalho Antônio Pereira, por sua vez, abordou a questão dos elevadores e do sistema de guindar. “É fundamental que o PGR contemple o plano de carga”, disse, reforçando também como essencial o planejamento na definição da utilização de equipamentos na obra.

CANPAT Construção

O seminário foi a primeira ação da Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes na Indústria da Construção (CANPAT Construção 2021), lançada no dia 21/7 pela Câmara Brasileira da Industria da Construção (CBIC), em correalização com o Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional), durante o VI Encontro Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria da Construção.

Em outubro, conforme anunciado na quarta-feira (21/7) pelo subsecretário de Inspeção do Trabalho da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério da Economia, Romulo Machado e Silva, será realizada a Semana CANPAT Construção 2021, dentro da CANPAT 2021. A ação nacional voltada para a conscientização da prevenção de acidentes de trabalho na construção civil ocorrerá de 4 a 8/10.

O Seminário Técnico Nacional da Nova NR-18 tem interface com o projeto “Realização/Participação de/em Eventos Temáticos de RT/SST” da Comissão de Políticas e Relações Trabalhistas (CPRT) da CBIC, em correalização com o Sesi Nacional.

Acesse as apresentações dos painéis no site da CBIC

Assista a integra dos painéis no canal da CBIC, no YouTube.

LEIA MAIS

VI Encontro Nacional de SST: 2º dia discute NR-18 e PGR

Inspeção do Trabalho anuncia Semana CANPAT Construção 2021 de 4 a 8/10

SIT: Construção é a locomotiva para o crescimento econômico sustentável

Agenda CPRT