Logo da CBIC
12/06/2023

CBIC alerta sobre a importância de competitividade no setor de Infraestrutura

Concessões do Lote 1 de rodovias no Paraná abrem debate sobre competitividade no setor da infraestrutura. O advogado especialista em projetos de concessão da área de infraestrutura e consultor jurídico da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Fernando Vernalha, apontou a baixa concorrência em leilões e alertou, em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, nesta segunda-feira (12), sobre a necessidade de participação de mais empresas no processo. O primeiro leilão está marcado para 25 de agosto na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3. 

“Geralmente, eram 2 ou 3 empresas que disputavam e em algumas ocasiões tivemos licitações que restaram desertas, porque não conseguiram atrair nenhum participante”, apontou. 

José Eugênio Gizzi, diretor da Comissão de Infraestrutura (Coinfra) da CBIC, pontuou que lotes menores seriam uma possibilidade para a participação de um grupo maior de empresas e promoveriam a competitividade no setor de infraestrutura. No caso do estado do Paraná, o novo modelo de concessões prevê a integração das rodovias estaduais e federais, e o mix dificulta a divisão em lotes menores, disse.

“Muito pontualmente vemos lotes pequenos, como na ponte Rio-Niterói, mas é porque se trata de algo muito concentrado, com grande volume de veículos”, apontou. A ponte, segundo Gizzi, foi concedida à iniciativa privada há oito anos. E mesmo se tratando de um trecho pequeno, foi arrematada por um grande grupo, a EcoRodovias.

Gizzi apontou que o modelo adotado de menor tarifa, sem limite de desconto, com aporte proporcional ao desconto dado pela concessionária como garantir de fundo para os investimentos, facilita a participação de um maior número de empresas, especialmente as associadas em consórcio. “Isso deve melhorar a competitividade e vamos torcer para que venham mais empresas para que o usuário paranaense tenha o melhor custo possível. Não adianta só ter tarifa baixa. É preciso ter a menor tarifa possível que resulte em obras”, disse. 


Confira na íntegra a matéria sobre o tema no jornal Gazeta do Povo. 

COMPARTILHE!

Agenda COINFRA

Julho, 2024