Logo da CBIC
05/05/2023

BIM como ferramenta de orçamentação e projetos da construção civil

Como o BIM (Building Information Modeling) pode ajudar na orçamentação e projetos da construção civil foi um dos temas debatidos durante o 96º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). 

De acordo com dados do Ministério da Fazenda, a construção civil é um dos setores mais importantes da economia brasileira, representando cerca de 4% do PIB nacional. Para aumentar a produtividade e eficiência do setor, o BIM tem se mostrado uma ferramenta essencial. 

Para o presidente da Comissão de Infraestrutura (COINFRA) da CBIC, Carlos Eduardo Jorge Lima, com a chegada do BIM, muitos profissionais e empresas precisaram se adaptar a essa nova forma. “Ela alinha novas tecnologias, processos e pessoas bem treinadas. Na sua essência, traz diversas vantagens e oportunidades para todas as áreas da engenharia”, afirmou Carlos Eduardo durante abertura do painel.

O engenheiro civil Vilberty dos Anjos Vasconcelos compartilhou sua expertise sobre o tema. Durante sua apresentação, ele destacou que o uso do BIM pode trazer uma série de benefícios para a orçamentação e projetos na construção civil. “Com o BIM, é possível realizar simulações em tempo real e avaliar diferentes cenários, o que permite a tomada de decisões mais precisas e assertivas”, explicou o engenheiro civil. 

Além disso, segundo ele, o BIM permite a integração entre diferentes áreas e profissionais da construção civil, o que pode reduzir o retrabalho e aumentar a colaboração entre as equipes. “O BIM é uma ferramenta que permite a comunicação e a colaboração entre diferentes áreas e profissionais, o que pode trazer uma maior eficiência e qualidade para os projetos”, afirmou Vilberty. 

Para o engenheiro, o espírito de colaboração tem que vir desde o momento em que se pensa em trabalhar com esse tipo de metodologia. “Para você implantar e desenvolver a cultura BIM dentro da empresa tem que ter um engajamento. Não adianta você chegar e dizer que a partir de amanhã é tudo BIM. Não, a turma e a direção da empresa têm que querer, não é uma decisão unilateral”, pontuou Vilberty.

De acordo com um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o uso do BIM na construção civil pode reduzir os custos em até 20%, além de aumentar a qualidade e a eficiência dos projetos. “Com um projeto que trabalha com o BIM, o orçamentista acaba se tornando alguém essencial e que precisa acompanhar do começo ao fim, contribuindo bastante para que o projeto seja feito da melhor forma”, afirma o engenheiro Vilberty. 

Segundo ele, espera-se que cada vez mais empresas do setor adotem essa tecnologia. “O BIM é uma ferramenta essencial para o aumento da produtividade e eficiência na construção civil. É fundamental que as empresas do setor se familiarizem com essa tecnologia e a utilizem em seus projetos”, finalizou Vilberty dos Anjos Vasconcelos.

Confira o debate completo no canal da CBIC no Youtube.

Este painel tem interface com o projeto “Melhoria da Competitividade e da Segurança jurídica para Ampliação de Mercado na Infraestrutura | 2023”, em correalização com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

O 96º Enic é realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), conta com a parceria da FEICON; o apoio do Sesi e do Senai; e tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Sebrae, Mútua, Zigurat, Totvs, Mais Controle, CV, Sienge, Orçafascio, Kone, PhD Engenharia, Alto QI, Acate, Brain e Ingevity.



COMPARTILHE!

Agenda COINFRA

Maio, 2024