Logo da CBIC
09/09/2020

Seminário recomenda uso do Sinapi na elaboração de orçamentos

Cerca de 100 empresários e técnicos do setor da construção de Alagoas tiveram a oportunidade de acompanhar nesta quarta-feira (9), via plataforma Zoom, a edição digital do Seminário Técnico de Revisão do Sistema Nacional de Pesquisas de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), com recomendações para contratantes e contratadas aproveitarem melhor o sistema, que é referência oficial para a elaboração do orçamento de obras que empregam recursos do Orçamento Geral da União (OGU).

Realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e pelo Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon-AL), com a correalização do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional) e apoio da Caixa Econômica Federal, o evento contou com a participação local do presidente do Sinduscon-AL, Alfredo Brêda, e do vice-presidente da CBIC na Região Nordeste, Marcos Holanda.

 

Geraldo de Paula Eduardo, gestor do grupo de trabalho de revisão do Sinapi da Coinfra/CBIC,

 

“Cada vez mais utilizado nas licitações públicas, com esse processo de atualização, o Sinapi passa por uma profunda reforma com ampliação de suas composições unitárias e detalhamento de cada uma delas, e tem contribuído para o uso de suas referências por orçamentistas, mesmo quando não é obrigatório”, destacou o gestor do grupo de trabalho de revisão do Sinapi da Comissão de Infraestrutura (Coinfra) da CBIC, Geraldo de Paula Eduardo.

 

Empresário Alvaro Andrade Vasconcellos

 

Ao apresentar a visão do empresário sobo Sinapi, Alvaro Andrade Vasconcellos,re  que atua na área de Planejamento e acompanhamento de resultados, metas e custos de obras, com experiência em concorrências públicas, elaboração de orçamentos e propostas comerciais, destacou a importância das empresas elaborarem orçamentos tecnicamente embasados nas orientações do Sinapi. “Orçar é construir em um planilha. É necessário analisar o orçamento como se fosse uma obra”, defendeu Vasconcellos.

 

Mauro Martins de Castro, gerente executivo do Sinapi na Caixa

 

O gerente executivo do Sinapi na Caixa, Mauro Martins de Castro, esclareceu que o sistema é referência e não uma tabela de custos.

Mostrou como a revisão está sendo conduzida, as ferramentas disponíveis e como o Sinapi está organizado de uma maneira mais clara e confiável, facilitando a busca das informações necessárias.

Castro destacou ainda que o sistema tem uma grande gama de composições e que, bem trabalhadas, pode fazer um orçamento melhor, com bons contratos, tanto para a empresa que contrata quanto para a que é contratada. Os usuários que quiserem contribuir com críticas e/ou sugestões para a atualização do Sinapi podem enviá-las ao Sinduscon-AL, no caso de Alagoas, que repassará à CBIC.

Ao ressaltar a importância do sistema para ter um bom projeto, que é a radiografia real do empreendimento, Marcos Holanda mencionou que “o Sinapi vai na convergência de evitar que os preços sejam defasados ou para mais ou para menos para ter um projeto real”.

“O caminho para obras paralisadas é começar com um mal projeto. O que a gente busca é a partir de um projeto completo e um orçamento bem feito, que é o caminho mais curto para ter uma obra com sucesso, com a qualidade esperada e entrega à sociedade”, frisou Geraldo de Paula Eduardo.

 

Aumentos de insumos

Durante o seminário também foi ressaltada a preocupação dos empresários de Alagoas com a consequência do aumento dos preços dos insumos para seus contratos. A expectativa, segundo Marcos Holanda, é de que com o intenso trabalho da CBIC sobre a questão a curto prazo esses valores atinjam o preço justo. Para Castro, não há outra solução que não o realinhamento de cláusula contratual.

Segundo Geraldo de Paula, o Sinapi vai refletir esses aumentos, mas talvez não na agilidade necessária. “Se uma construtora for participar de uma licitação e o governo utilizar o Sinapi como referência e não corrigir em razão dos aumentos vai ficar uma defasagem muito grande, o que vai gerar problema para a empresa no certamente”.

Na avaliação do presidente do Sinduscon-AL, Alfredo Brêda, o evento foi uma oportunidade para entender o funcionamento do Sinapi para melhorar a forma como as empresas executam seus orçamentos.

O seminário faz parte das ações do projeto ‘Melhoria da Competitividade e Ampliação de Mercado na Infraestrutura’, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em correalização com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

Veja íntegra das apresentações.

Agenda COINFRA

Agosto, 2022

X