Logo da CBIC
26/06/2018

Skaf apresenta propostas para educação, saúde e segurança

Se eleito, Paulo Skaf pretende “fazer uma verdadeira revolução na educação” do Estado de São Paulo. O pré-candidato ao governo estadual pelo MDB afirmou que é indispensável elevar o nível escolar, frente ao desafio de formar uma nova geração para uma realidade diversa da atual.

“Estamos vivendo a 4ª revolução industrial. Muitos setores [da economia] não sobreviverão. Em 10 anos, 50% das profissões que existem hoje deixarão de existir. Não podemos condenar gente ao fracasso por falta de educação”, pontuou Skaf durante palestra no ciclo de debates da frente Reformar para Mudar. O evento foi realizado na tarde desta terça-feira, 26/6, na sede do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Educação, saúde, segurança, transportes e parcerias público-privadas foram alguns dos pontos abordados pelo pré-candidato. O presidente da Associação para Progresso da Infraestrutura (Apeop-SP) e da Comissão de Infraestrutura da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (COP/CBIC), Carlos Eduardo Lima Jorge, que participou do debate, defendeu a expansão do modelo de concessões e parcerias público-privadas (PPPs), em São Paulo, para áreas que não sejam de grandes projetos – como escolas, hospitais, creches, etc. -, a fim de envolver pequenas e médias empresas, consorciadas. Ficou acertado que as contribuições do setor sobre o tema serão encaminhadas por Lima Jorge a Paulo Skaf.

O emedebista também apresentou propostas para os transportes (mais hidrovias, acelerar obras do monotrilho e expandir o metrô) e mostrou-se disposto a aumentar as parcerias público-privadas. “O orçamento do Estado é engessado. A solução para isso são as PPPs e os regimes de concessão, que quero fazer”.

Listando suas prioridades, frisou que pretende unificar as polícias e combater o tráfico de drogas. Afirmou ainda que, como governador de São Paulo, pretende usar do prestígio do cargo para pressionar o Legislativo federal e enrijecer leis penais. A derrubada da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), para Skaf, é simbólica, pois mostra como é possível alcançar objetivos mais amplos, com repercussão nacional, por meio da mobilização de esforços.

Sobre o ambiente político atual, marcado pela desconfiança da população nos partidos políticos, disse acreditar que, no pleito deste ano, os eleitores votarão em pessoas, não na agremiação.
Confira a cobertura fotográfica do evento em nosso Flickr.

(Com informações do Secovi-SP)

Agenda COINFRA

Agosto, 2022

X