Logo da CBIC
15/05/2019

91º ENIC: Minha Casa Minha Vida em pauta no encontro nacional do setor

Ao comentar, nesta quarta-feira (15), a notícia de que o governo estuda reduzir de 10% para 3% a participação do Tesouro Nacional no subsídio das faixas mais elevadas (nas faixas 1,5 e 2) do programa Minha Casa, Minha Vida, o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, diz não acreditar que uma medida dessa será tomada. “Ser for, então não será programa de governo. É melhor não colocar nada, porque 10% que o governo coloque já é absurdamente baixo, 3% é inacreditável”, destacou Martins.

O Futuro do Mercado Imobiliário e do Programa MCMV será debatido durante painel conjunto das Comissões da Indústria Imobiliária (CII) e da de Habitação de Interesse Social (CHIS) da CBIC, durante o 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), na sexta-feira (17).

Na ocasião, Martins apresentará uma proposta do setor para um novo programa de Habitação de Interesse Social, com conceito amplo de habitar, incluindo tudo que uma família precisa para viver/sobreviver.

A informação da redução da participação do Tesouro foi publicada em matéria de hoje (15) do jornal Folha de São Paulo e destaca que o Governo quer mais recurso do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) para fechar a conta do Minha Casa, Minha Vida.

De acordo com o jornal, os recursos do FGTS seriam usados para repor a diferença.

Pelas regras em vigor, os subsídios vão até R$ 47,5 mil nos imóveis na faixa 1,5, para famílias com renda de até R$ 2.600; e até R$ 29 mil na faixa 2, para as que têm renda de até R$ 4.000.

Na faixa 3, famílias com renda até R$ 9.000 contam com juros menores que os cobrados em financiamentos com recursos da poupança, o chamado SBPE, e pelo mercado imobiliário.

Os subsídios nas faixas 1,5 e 2 vêm do orçamento do FGTS (90%) e do Tesouro Nacional (10%). É a fatia do Tesouro que seria reduzida de 10% para 3%.

(Com informações da Folha de São Paulo)

Veja a integra da matéria.

O programa de trabalho da CHIS no 91º ENIC envolve temas tratados no projeto Continuidade e Melhoria dos Programas Habitacionais, realizado pela CBIC com a correalização do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Nacional).

Promovido pela CBIC, o 91º ENIC é uma realização do Sindicato da Indústria da Construção no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio) e conta com a correalização da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-Rio) e do Serviço Social da Indústria da Construção do Rio de Janeiro (Seconci-Rio).

Agenda CHIS