Logo da CBIC
25/04/2019

Uma Ferramenta de Conscientização

Na área de segurança do trabalho, existe uma ferramenta muito utilizada, chamada Diálogo Diário de Segurança (DDS). Essa ferramenta nada mais é que uma conversa que ocorre diariamente com os colaboradores, abordando temas diversos sobre Segurança e Saúde no Trabalho (SST) relacionados com as atividades desenvolvidas no canteiro de obras.

Algumas empresas, em substituição ao DDS, podem fazer uso do Diálogo Semanal de Segurança (DSS). Fica a critério da empresa reduzir ou intensificar a ação, dependendo dos eventos e necessidades.

A periodicidade não tem regra, o mais importante é que o diálogo ocorra com frequência para que os cuidados sejam lembrados e os riscos possam ser controlados.

Normalmente a ação é realizada entre 05 e 10 minutos, mas não há um padrão. Este período não deve ser extenso, pois não se trata de uma palestra e como o próprio nome já sugere, deve haver participação, afinal é um “diálogo”. Já para as empresas que adotam o DSS, o tempo pode ser estendido e utilizado até 30 minutos, a fim de dar maior enfoque a um tema especifico ou realizar balanço dos incidentes ocorridos durante a semana.

Colocando em prática

A escolha do tema para realização do DDS depende das atividades que estão sendo executadas no canteiro. Se a obra estiver na fase de instalações elétricas, por exemplo, o ideal é que os assuntos abordados refiram-se aos riscos e cuidados que devem ser observados para essa atividade.

As empresas podem apresentar casos reais de acidentes e de preferência que tenham ocorrido na mesma fase em que a obra se encontra. Os casos podem ser apresentados por fotos, vídeos ou simplesmente relatados aos trabalhadores e na sequência abrir espaço para uma boa discussão.

É interessante buscar a participação dos colaboradores para dinamizar o DDS. Estimular a equipe a se comunicar é uma excelente forma de trazer os trabalhadores para perto do empregador e deixá-los à vontade para falar sobre SST.  Afinal, ninguém melhor do que eles para falar o que pode ser melhorado em seus postos de trabalho.

Abordar temas que não estejam diretamente relacionados às atividades do canteiro é proveitoso e sair da rotina falando sobre segurança doméstica, também tem o seu valor e os trabalhadores apreciam.

Responsável por aplicar o DDS

Esta ferramenta não é obrigação exclusiva da equipe de segurança do trabalho, ela pode ser aplicada por qualquer colaborador que se sinta apto a compartilhar experiências. Apesar disso, normalmente o DDS é aplicado pelo técnico de segurança, “cipeiro”, supervisor, estagiário e trabalhadores.

Alguns canteiros alternam a apresentação entre trabalhadores e técnicos de SST, onde os temas do DDS devem ter relação com as atividades da obra.

A Importância

O DDS é uma das ferramentas mais simples e importantes para área de segurança e saúde no trabalho. É um canal aberto entre a coordenação das áreas e os trabalhadores. Esta conversa informal gera ações muito positivas para melhorar o ambiente de trabalho e aumentar a segurança e conscientizar trabalhadores. Além disso, essa ferramenta também cumpre o papel de aproximar e motivar toda a equipe.

A ferramenta é de baixo custo e tem implementação relativamente fácil comparada a outras, demandando apenas boa vontade, disciplina e comprometimento de todos.

É possível afirmar que o DDS é uma das ferramentas mais utilizadas, não só no setor da construção, mas em diversos segmentos, principalmente por não haver elevado investimento e entregar bons resultados em curto prazo.

 

Ligia Correa

Engenheira de SST

CPRT/ CBIC

 

 

Agenda CPRT