Logo da CBIC
16/03/2018

Apresentação do GT sobre Conforto Ambiental e Eficiência Energética

Criado em 1988, o Grupo de Trabalho sobre Conforto Ambiental e Eficiência Energética conjuga pesquisadores, profissionais, estudantes e técnicos que se dedicam à pesquisa dos vários aspectos do conforto ambiental: conforto térmico, conforto acústico, conforto luminoso, ergonomia, bem como inter-relações com eficiência energética em edificações.

Ao longo de sua existência, o GT sobre Conforto Ambiental e Eficiência Energética vem se empenhando no sentido de que sejam estabelecidas Normas Técnicas Brasileiras relativas ao binômio conforto e energia. Neste sentido, já em 1991 realizou-se o “Primeiro Encontro Nacional Sobre Normalização Quanto ao Uso Racional de Energia e ao Conforto Térmico em Edificações”, a partir do qual diversas ações foram tomadas rumo ao estabelecimento das almejadas normas. Para unificar e oficializar o processo de discussão, por solicitação do GT, o Comitê Brasileiro de Construção Civil (CB-02), da Associação Brasileira de Norma Técnicas (ABNT), criou três Comissões de Estudos (CE) para elaborarem, respectivamente, os textos normativos sobre Conforto Térmico, Acústico e Luminoso.

Em abril de 1998 estas Comissões reuniram-se em Florianópolis para iniciar a compatibilização das diferentes propostas. Posteriormente, os projetos de norma foram submetidos à apreciação pública e votados, tendo entrado em vigor em 2005, cinco normas técnicas na área de desempenho térmico de edificações (NBR 15.220), e quatro na área de iluminação natural (NBR 15.215).

Desde 1990, o GT Conforto e Eficiência Energética no Ambiente Construído organizou catorze encontros nacionais (os Encontros Nacionais de Conforto no Ambiente Construído, “ENCACs”), dez dos quais em âmbito latino-americano (os Encontros Latino-Americanos sobre Conforto no Ambiente Construído, “ELACACs”, iniciados a partir de 1995, concomitantemente aos ENCACs). Simultaneamente aos encontros, ocorre também, desde 1999, a Bienal “José Miguel Aroztegui”, Concurso Latino-Americano de Projetos Estudantis de Arquitetura Bioclimática.

A partir da última década, os ENCACs gradativamente se consagraram como principal fórum de debates em torno de questões de conforto, desempenho e normatização no âmbito brasileiro e latino-americano. Tal reconhecimento se deve à crescente qualidade acadêmica dos artigos, cursos e conferências apresentados nestes encontros e que proporcionam reais oportunidades de integração e atualização ao conjunto dos especialistas da área.

Uma ferramenta bastante útil para que se tenha uma visão geral dos principais temas pesquisados e publicados durante essas reuniões é o “Word Cloud” ou Nuvem de Palavras. A visualização da importância de quais os principais tópicos discutidos aparece com o tamanho de letra denotando a ordem de grandeza de cada assunto. A partir dos trabalhos publicados nos últimos três ENCACs (2013, 2015 e 2017, disponibilizados no Infohab: http://www.infohab.org.br/encac/index.html), cerca de 600 artigos, pode-se verificar a predominância dos principais tópicos voltados ao conforto.

 

Figura 1: Imagem gerada pelo aplicativo online https://tagcrowd.com/, com “Word Cloud” para os títulos dos trabalhos publicados nos três últimos ENCACs

Interpretando a imagem acima, podem-se identificar os principais temas pesquisados no GT sobre Conforto Ambiental e Eficiência Energética, ordenados por maior frequência de ocorrência:

  1. área térmica em geral
  2. desempenho (por exemplo, térmico, energético e relacionado à área de iluminação)
  3. conforto (por exemplo, térmico, energético e relacionado à área de iluminação)
  4. (condicionamento e iluminação) natural
  5. simulação (de desempenho) (por exemplo, térmico, energético e relacionado à área de iluminação)
  6. ventilação
  7. eficiência energética
  8. áreas de clima, iluminação e acústica

A questão de conforto e desempenho térmico de edificações desponta, com notáveis implicações no refinamento de normas brasileiras existentes, na definição ou aprimoramento do Zoneamento Bioclimático e na regulamentação de eficiência energética em edificações. Com a paulatina intensificação de geração primária de energia a partir de fontes não-renováveis, conforme verificado durante a última década nos dados no Balanço Energético Nacional, o desenvolvimento de pesquisas nessas áreas deverá se intensificar ainda mais nos próximos anos.

Professor Doutor Eduardo Krüger – Coordenador GT sobre Conforto Ambiental e Eficiência Energética

COMPARTILHE!

Agenda COMAT

Julho, 2024