Logo da CBIC
21/11/2019

Comissão da Indústria Imobiliária se reúne em Maringá

Maringá, no Paraná, recebeu a reunião da Comissão da Indústria Imobiliária (CII), da Câmara Brasileira da indústria da Construção (CBIC), nesta quinta-feira (21), já dentro da programação do Congresso Nacional de Engenharia, Construção, Tecnologia e Inovação (Conecti CBIC 2019). Confira a programação completa do evento.

O presidente da Comissão, Celso Petrucci, afirmou que a expectativa é que o ano de 2020 seja favorável para o setor, devido a menor taxa de juros histórica desde que o sistema financeiro de habitação foi criado. “Os indicadores nacionais apontam para um crescimento nas vendas, puxado pelas baixas nas taxas de juros. Não sabemos como será o fluxo de investimentos no nosso setor, fora os que a gente já conhece, face a esse cenário, mas tenho certeza de que vamos passar por uma transformação, e que será para o lado positivo”, disse.

César Henrique Zani, representante da Perfileve, fez uma apresentação sobre alguns produtos que a companhia oferece, voltados para o setor da construção civil. A Perfileve, que conta com um faturamento de R$ 170 milhões por ano, é considerada uma das cinco maiores do ramo no Brasil.

O vice-presidente Regional da CBIC, Aristóteles Passos Costa Neto, que está coordenando o assunto cartórios pelo setor, com ajuda do Conselho jurídico da CBIC (Conjur) esteve, por duas vezes, em reunião com o Ministério da Economia, na Subsecretaria de Desburocratização, e percebeu o interesse do governo em trabalhar o tema. “Existe uma disposição do ministério para enfrentar o tema, sobre o qual conhecem muito pouco, e dessa forma vai ser necessário alimentá-los com informações e sugestões”, afirmou.

Da mesma forma, participou de reunião com a Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo (Arisp), verificando que 90% das iniciativas da instituição têm convergência com as propostas da CBIC. “O embate deve acontecer em um percentual pequeno das propostas, mas vamos trabalhar para buscar o que for melhor para o setor integralmente”, frisou Costa Neto.

Um dos grandes desafios para o setor imobiliário nesse assunto é a falta de uniformização dos procedimentos cartorários, segundo Costa Neto. “As empresas do setor ficam perdidas porque não há um procedimento padronizado. Esse assunto (cartório) é vital em um momento em que falamos em ter um país mais competitivo”, alertou.

Os dados da sondagem do mercado imobiliário também foram destacados por Petrucci, que lembrou que a CBIC apresentará na próxima segunda-feira (25/11), às 9h30, em São Paulo, a mais recente rodada do estudo Indicadores Imobiliários Nacionais sobre o desempenho do segmento no terceiro trimestre de 2019.

Reunião da CII em Maringá

Carlos Henrique Passos, presidente da Comissão de Habitação de Interesse Social da CBIC (CHIS), falou sobre o andamento do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) e da audiência que participou na Caixa, no dia 19 de novembro. “Os dados indicam que são cerca de R$ 400 milhões em atraso. Havia a expectativa, na semana anterior, de ser liberada toda a contingência e que, em termos de orçamento, havia saldo para pagar o que seria medido até dezembro de 2019”. Passos abordou ainda sobre o posicionamento do governo e as medidas que a CBIC está preparando em relação às Faixas 1, 1,5 e 2 do MCMV.

Os assuntos tratados na reunião integram o Projeto ‘Melhorias para o mercado imobiliário’ do convênio com o Serviço Nacional da Aprendizagem (Senai Nacional).

Promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional) e Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional), o Conecti é realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil da Região Noroeste do Paraná (Sinduscon-PR/Noroeste).

Agenda CII