Logo da CBIC
22/08/2022

Saiba a importância das avaliações quantitativas dos agentes ocupacionais

A realização da avaliação quantitativa dos agentes físicos, químicos e biológicos é obrigatória em algumas situações conforme a Norma Regulamentadora NR 09 e tem três objetivos:

  1. Comprovar o controle da exposição ocupacional aos agentes identificados no Programa de Gerenciamento de Riscos – PGR;
  2. Dimensionar a exposição ocupacional dos grupos de trabalhadores;
  3. Subsidiar o equacionamento das medidas de prevenção.

Além de embasar o PGR, as avaliações quantitativas são fundamentais para a elaboração do Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho (LTCAT), Laudo de Insalubridade e Periculosidade (LIP), Programa de Conservação Auditiva (PCA) e Programa de Proteção Respiratória (PPR).

A elaboração desses laudos e programas com as devidas avaliações quantitativas traz inúmeras vantagens às empresas e possibilitam uma melhor gestão tanto da segurança e saúde do trabalho quanto do investimento financeiro na área, tais como:

  1. Evita pagamentos de exames médicos ocupacionais sem necessidade;
  2. Reduz custos com o uso de medidas de controle inadequadas e/ou desnecessárias;
  3. Reduz o custo com o pagamento indevido de adicional de insalubridade e alíquota adicional ao RAT – Risco Acidente de Trabalho;
  4. Promove melhor defesa em nos processos trabalhistas e previdenciários, prevenindo custos advindos de acidentes e doenças de trabalho;
  5. Garante informações adequadas para o preenchimento correto do evento “S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho – Agentes Nocivos” do eSocial.

As avaliações quantitativas dos agentes ocupacionais são feitas com a utilização de equipamentos de medição específicos, devidamente calibrados, tendo os resultados obtidos comparados com os padrões adequados de exposição. São exemplos de avaliações quantitativas a dosimetria de ruído, medição de calor (IBUTG), medição de vibração (de corpo inteiro e de mãos e braços), medições ambientais de poeira utilizando bomba de amostragem, entre outros.

A matéria tem interface com o projeto “Elaboração e Atualização de Conteúdos Informativos/Orientativos para a Indústria da Construção”, da Comissão de Políticas e Relações Trabalhistas (CPRT) da CBIC, com a correalização do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Agenda CPRT