Logo da CBIC
01/07/2022

Novidades sobre as operações no crédito imobiliário foram destaques em reunião da CII

Novidades sobre as operações no crédito imobiliário e debate sobre o atual momento do mercado imobiliário foram pauta da reunião realizada pela Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), nesta sexta-feira (01).

Durante o evento, o presidente da entidade, José Carlos Martins, destacou que o país ainda vive um momento de turbulência internacional e que requer cuidado, mas ressaltou uma mudança de comportamento que considerou benéfica para a sociedade. “A pandemia nos trouxe um ponto positivo, as pessoas passaram a diminuir os consumos supérfluos e começaram a pensar mais no futuro, a investir”, disse. 

As novidades no programa Casa Verde e Amarela (CVA) também foram destacadas por Martins. Para ele, a racionalização da curva de subsídios foi responsável pelo aumento de 30% das unidades, comparando maio de 2021 e maio de 2022. Apesar disso, as unidades ainda estão muito abaixo da meta esperada, apontou. “É um momento difícil, no entanto, é um momento de muita força”, destacou. 

O ano de 2021 foi considerado o melhor ano do mercado imobiliário, de acordo com o presidente da CII, Celso Petrucci. Já neste ano, segundo os indicadores do primeiro trimestre, foi possível observar que certos mercados, como o CVA, estão puxando os indicadores para baixo. De acordo com Petrucci, em abril já foi possível notar uma redução do crédito imobiliário, porém, a expectativa de redução contínua foi quebrada e em maio os números voltaram a subir. “Nós não precisamos atingir tudo o que atingimos no ano passado”, reforçou. 

Para debater crédito imobiliário foram convidados o presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa, e a diretora de Empréstimos e Financiamentos do Banco do Brasil (BB), Daniela de Avelar Gonçalves. Os convidados apresentaram novidades sobre as operações dos bancos para crédito imobiliário. 

Daniela de Avelar Gonçalves apresentou as mudanças realizadas pelo BB sobre o financiamento de mais de dois mil novos empreendimentos e do anseio do Banco em trazer processos que sejam fluidos e que façam sentido para o mercado. A diretora apontou que uma ideia é o investimento no mercado de financiamento e ressaltou a importância na busca de melhores condições de crédito. “O mercado imobiliário é um produto que traz fidelização”, apontou. 

O setor também é foco para o BRB, de acordo com o presidente do Banco. “A gente quer ser o banco da carteira da construção civil. Está no nosso DNA: valorizar, reconhecer e entender como a gente pode apoiar o setor para fazer uma mudança”, apontou Paulo Henrique Costa. 

O presidente ainda falou sobre o processo de nacionalização do Banco. “O Banco de Brasília, ou melhor, o que nasceu em Brasília, talvez seja a melhor definição, hoje tem clientes em 91% do território nacional. Nós temos presença em 5100 municípios e 800 correspondentes, quase 200 agências”, destacou. 

O tema da reunião tem interface com o projeto “Melhoria para o mercado imobiliário”, realizado pelas Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da CBIC, em correalização com o Senai-DN.

Agenda CII