Logo da CBIC
15/04/2021

Na pandemia, construção civil cresce 5% em Fortaleza e Região Metropolitana

Dados do mercado imobiliário de Fortaleza e Região Metropolitana consolidados pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE) revelam que em 2020 foram vendidos 5052 imóveis. Um aumento de 5% se comparado ao ano de 2019, quando foram comercializados 4819 imóveis.

Os maiores volumes de vendas de imóveis foram registrados nos bairros Aldeota, Parque Dois Irmãos e Messejana, em Fortaleza; e nos municípios de Eusébio e Maracanaú.

Os indicadores aferidos foram comparativos de lançamentos, vendas, ofertas, distratos, preço do m² comercializado, Valor Geral de Vendas (VGV), Vendas Sobre Oferta (VSO) e dados por bairros. O resultado é fruto do monitoramento de cerca de 249 empreendimentos e 83 construtoras/incorporadoras.

O Valor Geral de Vendas alcançado em 2020 foi de R$ 1,9 bilhão. Já em 2019, esse valor chegou a R$ 2,08 bilhões. No comparativo com 2019, houve crescimento de 38% do Valor Geral de Vendas dos Apartamentos – Minha Casa, Minha Vida (2o e 3o faixas); de 11% das Casas – Alto Padrão; 27% das Casas – MCMV (2o e 3o faixa).

Com relação aos lançamentos, o destaque foi para os apartamentos de médio e alto padrão que tiveram um incremento médio de 325% em 2020, se comparado a 2019. No ano de 2020, foram lançadas, por mês, uma média de 98 unidades. Já em 2019, foram lançadas, em média, 23 unidades por mês.

O estoque médio de apartamentos de médio e alto padrão, casas e comerciais diminuiu no
comparativo de 2020 e 2019. A queda foi de -15% no estoque médio de apartamentos de médio e alto padrão, -0,6% nas casas e -22% nas unidades comerciais.

O número de distratos reduziu 63% entre 2019 e 2020. Em 2019, foram ao todo 1356 distratos. Em 2020, foram contabilizados 503.

De acordo com o presidente do Sinduscon Ceará, Patriolino Dias de Sousa, aferir todos os dados relativos ao mercado imobiliário de Fortaleza e Região Metropolitana, é de extrema importância. “Com isso, oferecemos os subsídios necessários para que nossos associados consigam desenvolver os empreendimentos de forma mais assertiva, o que torna o mercado mais saudável”, afirmou.

 

Agenda CII

Janeiro, 2023

X