Logo da CBIC
29/11/2018

Um novo Minha Casa, Minha Vida: para que brasileiras e brasileiros vivam mais e melhor nas cidades

Alexandre Baldy, ministro das Cidades

Um Brasil bem diferente se projeta na questão habitacional. Será preciso construir cerca de 30 milhões de moradias para equacionar a demanda reprimida dos próximos 22 anos: o equivalente a mais de um milhão de novos domicílios anualmente.

Temos diversos brasis, com disparidades enormes, desafios e grandes gargalos. Realidades tão díspares demandam um planejamento adequado às peculiaridades de cada região.

O Ministério das Cidades se faz presente em todos os cantos. Somos gestores e aplicadores de recursos de áreas estruturantes que impactam diretamente a vida das pessoas: Habitação, Mobilidade Urbana, Saneamento, Desenvolvimento Urbano e Trânsito.

Hoje, no âmbito do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV), iniciativa considerada referência na política pública de habitação, nossa prioridade não se restringe apenas à retomada das obras. Mas também à promoção do bem-estar de quem finalmente vai morar no que é seu, de fato e de direito.

Temos um orçamento de quase R$ 70 bilhões para a Habitação, o maior entre todas as áreas, dividido em recursos do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS) e Orçamento Geral da União (OGU). Os segmentos em que atuamos são estruturantes para uma vida melhor nas cidades. E a Habitação, no meu ponto de vista, é o mais eficiente. Porque o setor privado é quem contrata e executa.

As unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida representam 70% do mercado imobiliário brasileiro, além de 65% das construções.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Construção Civil, após um acúmulo de quatro anos de queda, segundo o Valor Data, registrou crescimento de 2% em 2018, motivado pela retomada do Programa.

Um programa social que se aperfeiçoou, revigorou-se e está alicerçado em empreendimentos que visam à justiça social, a partir de um viés humanitário, com a oferta de moradia digna.

Humanizar pressupõe a melhoria da inserção urbana. Nós, gestores públicos, não podemos esquecer que fazemos entregas para um universo de famílias carentes que merecem o melhor.

O Minha Casa, Minha Vida tem sido assim: um somatório de resultados que vem nos permitindo quebrar paradigmas, superar os desafios, desburocratizar processos, viabilizar investimentos e mostrar resultados.

Na prática, é a promoção de políticas públicas eficazes e transparentes corroborando às expectativas das pessoas. Nossa Pasta tem essa capilaridade, fazer com que elas vivam bem.

Para que tudo isso dê certo, valorizamos as alianças. Para nós, parceria de sucesso é quando conseguimos mudanças: seja por meio da conquista da casa própria, da reforma de um cômodo, de um banheiro, da regularização de um lote, da oferta de vias urbanizadas, da acessibilidade e de um trânsito mais seguro.

E o quê nos motiva continuar trabalhando? Para que nossas cidades deem um salto para um futuro de desenvolvimento. Para que possamos permanecer
celebrando o brilho nos olhos de cada mãe, cada pai, ao receberem as chaves da casa própria: seu teto, seu lar, seu porto seguro.

A certeza de que é possível é o nosso maior legado. Desejamos que o país continue nesse rumo, trilhando o caminho do desenvolvimento, traduzido em sustentabilidade e em qualidade de vida para brasileiras e brasileiros.

Agenda CII

Setembro, 2022

X