Logo da CBIC
17/08/2021

Empresários ressaltam relevância do roadshow para as relações contratuais

Com cerca de 565 inscritos, a Comissão de Obras Industriais e Corporativas (COIC) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) realizou nesta terça-feira (17/8), em formato virtual, a 5ª edição do Roadshow: Formação de preços e relações contratuais.

Representando o presidente da CBIC, José Carlos Martins, o vice-presidente Administrativo da entidade, Eduardo Aroeira, ressaltou o debate sobre formação de preços e relações contratuais como fundamental para dar maior segurança às empresas do setor, principalmente diante do momento de crise de preços dos insumos e da pandemia.

Neste sentido, o presidente da COIC/CBIC, Ilso José de Oliveira, ressaltou que se um projeto vai bem, todos são beneficiados.

Com apoio dos Sinduscons do Paraná e da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), o evento também contou com as participações dos presidentes:
Rodrigo Zerbeto, presidente do Sinduscon-PR
Rogério Yabiku, presidente do Sinduscon PR Noroeste
Sando Paulo Marques de Nobrega, presidente do Sinduscon PR Norte
Ricardo Parzianello, vice-presidente do Sinduscon PR Oeste

Gestão compartilhada como ferramenta para a continuidade dos contratos

O membro do Comitê de Inteligência Estratégica (CIE) da COIC, Marcelo Eduardo Figueiredo, apresentou o documento “Caminhos para viabilizar a continuidade dos contratos impactados pela pandemia”, como solução compartilhada para contratantes de obras públicas e privadas e que pode ser aplicado tanto em obras de infraestrutura quanto em obras imobiliárias.

Marcelo Figueiredo ressaltou que o documento é resultado da necessidade de ajustes não procedimentais e conta com uma reflexão sobre os efeitos adversos sobre os negócios e o custo da Covid-19, não previstos nos projetos, como:

  • Efeitos adversos decorrentes do cenário de pandemia
  • Custos advindos dos novos procedimentos operacionais
  • Custos adicionais com pessoal
  • Redução da praticabilidade
  • Ociosidade de recursos e queda da produtividade
  • Acréscimo de prazos nos contratos
  • Custos indiretos adicionais com a Covid-19
  • Custos adicionais de aquisição de insumos – atrasos na entrega de pedidos de materiais de construção e disparada no preço de insumos

Figueiredo reforçou a importância de mostrar o quanto a empresa é afetada, de forma tangível e não emocional. “Tangibilidade é um caminho a ser seguido”, disse.

Além disso, salientou que a gestão compartilhada é uma forma de induzir os atores de um processo, de uma relação contratual, a soluções dentro desse ambiente de contrato.

“Essa é uma ferramenta poderosa para tratar de uma forma estruturada os problemas, para que as soluções possam aparecer dentro de uma ambientação negocial. Enfrentar em conjunto é o conceito de compartilhar sua gestão, no intuito de somar experiências para ter uma solução para o projeto”, enfatizou Figueiredo.

Ao elogiar o evento, como oportunidade para enriquecer argumentos e a gestão das obras, o vice-presidente da CBIC Região Sul, José Eugenio Souza de Bueno Gizzi (PR), frisou que em sua empresa, os custos com a Covid-19, em 2020, representaram quase uma folha de pagamento com seus encargos. “Esse não foi o maior dos custos. O maior foi não ter produzido ou ter produzido menos. É algo que temos que levar em consideração e levar aos nossos contratantes”.

Acesse o documento Caminhos para viabilizar a continuidade dos contratos impactados pela pandemia, disponível para download no site da entidade, bem como o Guia Prático de Gestão Compartilhada.

BIM e gestão como fator de sucesso

O gerente de Projetos da Reta Engenharia, Diego Fernandes Pontes, apresentou o case Arena MRV: BIM e gestão como fator de sucesso da obra, iniciada em abri de 2020 e previsão de entrega final em janeiro de 2023, na região Noroeste de Belo Horizonte, a 11km do centro, com destaque para as vantagens já obtidas para o projeto e os benefícios para os usuários.

Com 128 mil metros quadrados e 178 mil metros quadrados de área construída, a arena tem capacidade para 46 mil torcedores. Para a construção, todas as exigências dos órgãos ambientais estão sendo seriamente seguidos. Um parque linear, com 76 mil m2, será entregue à comunidade e mantido por 30 anos. Além disso, será preservada a reserva ecológica próxima à Arena e haverá o plantio de 26 mil mudas.

Na obra, segundo Diego Pontes, o uso das metodologias BIM (3D a 7D) vai desde a validação e elaboração de projetos até a simulação de evacuação de arena, análise de insolação no gramado, certificação Procel e sistema de reaproveitamento de água de chuva.

Dentre os benefícios do uso do BIM, o gerente de Projetos citou a identificação de interferências na obra. “Foram milhares de detecções de conflitos que foram evitados já na fase de projetos. Um benefício direto ao projeto”, salientou. O acompanhamento da obra pode ser feito no site da arena ou nas redes sociais, onde são postadas informações técnicas de execução e acompanhamento de obras. www.arenamrv.com.br

Como desafios, Pontes citou:

  • Escassez de fornecedores e mão de obra especializada
  • Quantidade de empresas/disciplinas
  • Trabalho colaborativo – interoperabilidade
  • Coordenação do desenvolvimento da engenharia
  • Elaboração e aplicação do Plano de Execução BIM
  • Envolvimento do planejamento no desenvolvimento da engenharia

Para José Eugenio Gizzi, “o BIM não é barato, mas já temos tido ganhos muito bem definidos na empresa, evitando retrabalho”.

“Cabe a todos nós, a obrigação de trabalhar para convencer os nossos clientes a iniciar os projetos utilizando o BIM”, enfatizou Ilso de Oliveira.

“O BIM está evoluindo no Paraná, em parceria com a Fiep”, evidenciou Rodrigo Zerbeto, presidente do Sinduscon-PR, ao sublinhar o trabalho da entidade em sua disseminação no estado.

A COIC aproveitou o evento para reforçar aos participantes a realização do Dia Nacional da Construção Social (DNCS), em homenagem aos trabalhadores da indústria da construção, neste sábado (21/8), das 16h às 18h, estimulando os trabalhadores de suas empresas a também participarem.

Os assuntos tratados no roadshow têm interface com o projeto “Fortalecimento das Empresas de Obras Industriais e Corporativas”, da COIC/CBIC, com correalização do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

Saiba mais assistindo a íntegra do roadshow no canal da CBIC no YouTube.

COMPARTILHE!

COIC Agenda

october, 2021

sun

mon

tue

wed

thu

fri

sat

-

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

No Events

X