SindusCon-SP: emprego na construção brasileira sobe 0,07% em julho após quase 3 anos de quedas seguidas

Pela primeira vez depois de 33 meses de queda, o nível de emprego na construção civil brasileira voltou a subir. Em julho, houve alta de 0,07% na comparação com junho. Com a contratação de 1.677 trabalhadores, o estoque de trabalhadores foi de 2,457 milhões para 2,458 milhões. Em 12 meses, entretanto, a queda é de 10,31% e na comparação com julho de 2016, a redução chega a 12,63%. Ao se desconsiderar os efeitos sazonais, o emprego registrou queda é de 0,44% em julho na comparação com junho (-10.887), chegando a 34 baixas consecutivas.

Os dados são da pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). Para o presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, o número positivo de julho não indica tendência de reversão. “Pontualmente houve alguma melhora em segmentos como preparação de terrenos e obras de infraestrutura, mas a tendência geral do nível de emprego continuará declinante até o final deste ano”, afirma.

Em julho, na comparação com junho, registraram alta os segmentos Infraestrutura (1,04%), Preparação de terreno (0,81%) e Engenharia e Arquitetura (0,77%). Na outra ponta, Obras de instalação e Incorporação de imóveis tiveram baixa de 1,32% e 0,27%, respectivamente. Em 12 meses, todos os segmentos apresentam queda, sendo as maiores baixas em Imobiliário (-13,66%), Obras de acabamento (-11,97%) e Preparação de terreno (-10,55%).

Das cinco regiões do Brasil, três registraram alta: Norte (1,21%), Centro-Oeste (0,97%) e Nordeste (0,05%). Já as regiões Sudeste (-0,16%) e Sul (- 0,04%) registraram baixa em julho. No Sudeste, as quedas se concentraram no Rio de Janeiro (-1,98%) e Espírito Santo (0,46%). São Paulo, principal mercado do país, teve alta de 0,09% e Minas Gerais de 0,82%. Na região Norte, houve alta em quase todos os estados, com destaque para o Acre (2,10%), Pará (1,58%) e Rondônia (1,30%). Apenas Roraima e Amapá tiveram baixas, -1,14% e -0,14%, respectivamente.

No Nordeste, os estados do Maranhão (2,45%), Bahia (0,66%) e Rio Grande do Norte (0,38%) puxaram a alta da região. Na outra ponta, Alagoas (-1,29%), Pernambuco (-0,84%), e Ceará (0,56%) impediram que a alta fosse maior. No Centro-Oeste, registraram alta Mato Grosso (3,33%), Goiás (0,73%) e Distrito Federal (0,73%). Mato Grosso do Sul teve queda de 0,86%. Por fim, na região Sul, o Paraná teve queda de 0,53% e puxou o resultado regional para baixo. Santa Catarina teve alta de 0,30% e o Rio Grande do Sul de 0,23%.

(Com informações do SindusCon-SP)

Compartilhe!

Agenda da Construção

Outubro, 2017

Filtrar eventos

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

-

-

-

-

-

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

23Outallday25alldayINOVAR PARA CONSTRUIR

23Out13:3018:00ROAD SHOW BIM

23Out19:4000:00CONGRESSO INOVAR PARA CONSTRUIR - NOVAS TECNOLOGIAS PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL

X