CBIC discutirá possíveis impactos da NBR 15575 | CBIC

CBIC discutirá possíveis impactos da NBR 15575

A Caixa Econômica Federal promoverá no próximo dia 22, das 9h30 às 17h, em São Paulo, reunião para analisar a norma de desempenho NBR 15575.

O objetivo é observar aspectos da norma que conflitem com outras normas existentes; gerem impacto nos custos; necessitem de ensaios/desenvolvimento/pesquisa e prazos maiores.

Durante a reunião, também será avaliado o cronograma de implantação da NBR, com as ações até novembro de 2010 e a necessidade de contato e ações que envolvam outros atores do processo, tais como legislação, fabricantes e projetistas.

A NBR 15575 vale para edifícios de até cinco pavimentos.

Tem como foco, principalmente, a funcionalidade da construção, inclusive em relação ao conforto acústico.

A norma define o desempenho mínimo obrigatório para alguns sistemas das edificações ao longo de uma vida útil mínima obrigatória entre outros fatores.

A nova regra, aprovada em 2008, entrará em vigor até novembro deste ano.

A norma atende a tendência mundial de elaboração de Normas com a abordagem em desempenho, que define resultados mínimos esperados do comportamento e condições da habitação ao longo de sua vida útil de projeto.

A norma também visa estimular a inovação tecnológica e a sustentabilidade no mercado da construção, reforçando o principal objetivo da construção de um imóvel, que é atender as necessidades de conforto e segurança do morador.

A referida Norma contempla pontos como vida útil mínima para a estrutura, pisos, paredes, cobertura e sistemas hidrossanitários, bem como necessidades de desempenho térmico, acústico, lumínico, durabilidade e segurança.

Critérios de desempenho, como análise crítica de projetos, ensaios laboratoriais e inspeções podem ser avaliados de várias formas.

Além disso, a Norma esclarece o papel de cada agente para a obtenção do desempenho da habitação ao longo de sua vida útil, ou seja, projetistas, incorporadores, construtores, fabricantes de materiais e sistemas construtivos e os próprios usuários (deverão seguir orientações de manutenção) são co-responsáveis pela durabilidade da moradia.

Dada a importância do assunto para o setor da construção, já que ela poderá impactar principalmente as obras do Programa Minha Casa, Minha Vida, a CBIC solicita aos associados que enviem até sexta-feira (18) contribuições sobre os assuntos que serão tratados na referida reunião.

As sugestões devem ser encaminhadas para Geórgia Grace, assessora Técnica da CBIC, pelo e-mail assessoria.tecnica@cbic.org.br.